PUBLICIDADE

Lunistício: veja fotos do fenômeno que "paralisou" a Lua

Na Lua cheia dessa sexta-feira (21), que coincide com o solstício de inverno, ocorre o lunistício. Nele, a Lua percorre um caminho diferente do habitual

22 jun 2024 - 07h39
(atualizado em 23/6/2024 às 04h00)
Compartilhar
Exibir comentários

Lua Cheia de Morango ficou visível em todo o Brasil nas regiões em que o céu ficou livre de nuvens nesta sexta-feira (21). A data também marca o lunistício, evento que "paralisa" a Lua e ocorre uma vez a cada 18 anos (veja fotos abaixo).

Foto: Brett Sayles/Pexels / Canaltech

Se você olhar para o céu durante as noites até domingo (23), verá um cenário que nunca perde seu encanto: a Lua Cheia. Dessa vez, o evento coincide com o solstício de inverno no hemisfério Sul e leva o nome "Lua Cheia de Morango", herdado dos povos do hemisfério Norte, devido à época da colheita de morangos nos EUA.

Além disso, a Lua estará em seu ponto mais distante do Sol em sua órbita. Isso se deve ao fato de que a órbita da Lua ao redor da Terra (assim como a da Terra ao redor do Sol) é elíptica. Portanto, há momentos em que os objetos estão mais afastados entre si. 

E as curiosidades lunares não param por aí: este ano, também veremos uma "paralisação lunar", também conhecido como lunistício, um evento que leva quase uma década para se repetir.

Paralização lunar

O lunistício lunar de junho significa que a Lua percorrerá um caminho mais curto no céu. Entretanto, essa diferença é só observada no hemisfério Norte, onde o disco lunar não se afastará do horizonte em nenhum momento.

Moradores do Canadá, por exemplo, observarão a Lua percorrer entre Sudeste e Sudoeste sem ultrapassar os 20° de "latitude" (declinação) celeste. Para se ter uma ideia, a Lua não ultrapassará a altura de muitos edifícios, dependendo do ponto de vista.

No extremo Sul, ocorrerá o oposto: a Lua também percorrerá de Sudeste a Sudoeste, mas se elevará muito, posicionando-se quase acima de nossas cabeças. Isso traçará uma linha bastante incomum no céu.

Acima, o percurso da Lua no Rio Grande do Sol, com o ápice exatamente acima da cabeça do observador; abaixo, o percurso no Canadá (Imagem: Reprodução/Stellarium/Daniele Cavalcante)
Acima, o percurso da Lua no Rio Grande do Sol, com o ápice exatamente acima da cabeça do observador; abaixo, o percurso no Canadá (Imagem: Reprodução/Stellarium/Daniele Cavalcante)
Foto: Canaltech

Observe nas imagens acima que, no Sul, a Lua também viaja uma distância menor entre o início e o fim do trajeto, mas fará um contorno que tornará o percurso maior.

Uma analogia seria um passeio de carro: enquanto no Canadá o motorista optou por um atalho, no Rio Grande do Sul o condutor preferiu visitar pontos turísticos distantes do destino final.

Fotos da Lua Cheia na noite de "paralisação lunar"

Confira abaixo algumas imagens registradas por fotógrafos ao redor do mundo:

Lua "paralisada" observada por telescópio (Imagem: Daniele Cavalcante)
Lua "paralisada" observada por telescópio (Imagem: Daniele Cavalcante)
Foto: Canaltech

Como ocorre o lunistício

Tudo isso ocorre devido a um fenômeno chamado lunistício, que ocorre quando a Lua atinge sua maior ou menor declinação (coordenada celestial semelhante às latitudes da Terra) durante um ciclo lunar de 27 dias. À medida que os ciclos lunares se passam, mês após mês e ano após ano, a declinação da Lua varia até atingirem um ponto máximo e um mínimo.

Esses extremos são chamados de lunistícios maiores ou menores, dependendo da amplitude da variação. O último lunistício menor ocorreu em outubro de 2015, e o próximo está previsto para maio de 2034. Já o último lunistício maior foi em junho de 2006, e o próximo ocorre hoje, dia 21 de junho.

Embora a data do lunístico maior seja hoje, a Lua permanecerá assim até 2025, apresentando variações quase imperceptíveis. Se você gosta do assunto, aproveite para observar e aprender os diversos movimentos sazonais de nosso satélite natural na esfera celeste.

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade