PUBLICIDADE

Jogo do Tigrinho | Entenda polêmicas sobre o jogo de azar

"Jogo do tigrinho" é considerado jogo de azar, mas domina as redes sociais e já rendeu até caso de polícia

24 jun 2024 - 03h09
(atualizado às 21h09)
Compartilhar
Exibir comentários

Conhecido no Brasil como "jogo do tigrinho", o jogo de azar Fortune Tiger ganha cada vez mais espaço nas redes sociais, seja pela divulgação de influencers ou pelos inúmeros bots que promovem a plataforma no Instagram. Apesar da promessa de dinheiro fácil, o game é considerado ilegal e acumula polêmicas nos últimos meses.

Foto: Reprodução/PG Soft / Canaltech

O jogo do tigrinho é ilegal?

Sim, o jogo Fortune Tiger, da PG Soft, é considerado um jogo de azar e portanto é ilegal no Brasil. Primeiro, é necessário entender como ele funciona: o jogador faz uma aposta e tem que formar uma linha horizontal ou diagonal com três imagens idênticas, como uma máquina de caça-níqueis. Ao conseguir a sequência de imagens, a pessoa ganha um bônus financeiro, mas existem relatos de usuários que não conseguiram sacar a compensação.

A dinâmica transforma o Fortune Tiger num jogo que depende exclusivamente da sorte e, por isso, pode ser considerado ilegal de acordo com a Lei de Contravenções Penais (Decreto-Lei nº 3.688/1941).

Normalmente, as plataformas que oferecem o jogo do tigrinho não são sediadas no Brasil, o que dificulta o rastreamento. Por outro lado, é importante mencionar que as "bets" esportivas são consideradas legítimas pela legislação brasileira, pois operam com base nas cotas fixas de eventos esportivos reais — confira a análise de uma especialista sobre o tema.

"Jogo do tigrinho" é considerado jogo de azar (Imagem: Reprodução/Instagram)
"Jogo do tigrinho" é considerado jogo de azar (Imagem: Reprodução/Instagram)
Foto: Canaltech

Polêmicas acumuladas

A fama do jogo no Brasil é acompanhada de diversas polêmicas, incluindo casos de polícia. Relembre algumas:

Caso de polícia

Uma operação policial em novembro do ano passado resultou na prisão de um grupo de quatro pessoas que recebia dinheiro para divulgar a plataforma nas redes sociais. Estima-se que os pagamentos variavam entre R$ 5 mil e R$ 15 mil por semana e os influenciadores tentavam trazer novos clientes para a plataforma com vídeos que prometiam dinheiro fácil. 

Além disso, uma influenciadora foi investigada pela Polícia Civil de São Paulo em junho deste ano, após mostrar "ascensão patrimonial meteórica" através da divulgação de jogos de azar, o que inclui o exemplar do tigre.

Bots no Instagram

Outro fenômeno comum nas últimas semanas é a enxurrada de bots que promovem o jogo no Instagram: contas com nomes aleatórios e foto do game começaram a seguir diversos perfis na rede, o que gerou muito incômodo pela quantidade de robôs por lá.

Procurada pelo Canaltech, a Meta informou que trabalha para limitar a disseminação de spam e recomendou que essas contas que promovem o game fossem denunciadas. É importante lembrar que contas que promovem apostas online precisam da aprovação da plataforma para atuarem por lá. 

Se você passou por essa situação, vale a pena conferir um truque para evitar novas solicitações de bots.

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade