PUBLICIDADE

Novo conjunto de reações químicas pode desvendar origem da vida

Uma equipe de cientistas do instituto Scripps Research descobriu que reações com cianeto, amônia e dióxido de carbono podem gerar aminoácidos e ácidos nucleicos

29 jul 2022 - 13h15
(atualizado às 16h03)
Ver comentários
Publicidade

Uma equipe de cientistas do Scripps Research, um instituto de pesquisa dos Estados Unidos, descobriu um novo conjunto de reações químicas com cianeto, amônia e dióxido de carbono, compostos considerados comuns na Terra primordial. Eles usaram a combinação de reações com estas substâncias para gerar aminoácidos e ácidos nucleicos, os blocos construtores de proteínas e do DNA.

Foto: ANIRUDH/Unsplash / Canaltech

Ramanarayanan Krishnamurthy, autor principal do estudo que descreve a descoberta, explica que a equipe chegou a um novo paradigma, capaz de explicar a mudança da química prebiótica para a biótica. "Acreditamos que o tipo de reações que descrevemos é, provavelmente, o que pode ter acontecido na Terra primordial", disse.

Representação da Terra primordial (Imagem: Reprodução/Don Dixon/Cosmographica)
Representação da Terra primordial (Imagem: Reprodução/Don Dixon/Cosmographica)
Foto: Canaltech

No início do ano, eles haviam demonstrado como o cianeto pode permitir reações químicas que transformam moléculas prebióticas e água em compostos orgânicos básicos, necessários para a vida — com a diferença de que as reações aconteciam em temperatura ambiente, dentro de um amplo intervalo de pH. Depois, eles se questionaram se conseguiriam gerar aminoácidos nas mesmas condições.

Com o sucesso com o cianeto para desencadear novas reações, Krishnamurthy e seus colegas suspeitaram que o composto poderia ajudar a transformar α-cetoácidos, um precursor dos aminoácidos, nestas moléculas. Para isso, eles experimentaram adicionar amônia (uma forma do nitrogênio provavelmente presente na Terra primordial) e acabaram chegando ao dióxido de carbono.

Com este terceiro "ingrediente" na mistura, a equipe começou a observar a formação de aminoácidos. "Se você misturar somente o α-cetoácido, cianeto e amônia, eles só ficam ali; assim que acrescenta o dióxido de carbono mesmo em pequenas quantidades, a reação ganha velocidade", observou Krishnamurthy. Apesar de ser desencadeada pelo cianeto e não por uma proteína, essa nova reação é relativamente parecida com o que ocorre no interior das células.

Por isso, os pesquisadores acreditam ser mais provável que esta seja a origem da vida primordial, ao invés de reações drasticamente diferentes. "O que queremos fazer depois é continuar investigando que tipo de química pode emergir dessa mistura", disse Krishnamurthy. "Será que os aminoácidos podem começar a formar pequenas proteínas? Será que alguma delas volta e começa a agir como uma enzima, para formar mais aminoácidos?", sugeriu.

O artigo com os resultados do estudo foi publicado na revista Nature Chemistry.

Fonte: Nature Chemistry; Via: Scripps Research

Trending no Canaltech:

Canaltech
Publicidade
Publicidade