PUBLICIDADE

Fósseis incríveis, incluindo um peixe preservado em 3D, são achados em fazenda

Entre os exemplares muito bem preservados de peixes e outras criaturas do Jurássico, encontrados em uma fazenda na Inglaterra, está um peixe preservado em "3D"

1 ago 2022 - 16h30
Ver comentários
Publicidade

Uma fazenda em Gloucestershire, na Inglaterra, revelou ser a fonte de um inestimável tesouro paleontológico: nela, há restos muito bem preservados de diversos animais do início do Jurássico, há 183 milhões de anos. Os fósseis incluem peixes, répteis marinhos gigantes — ictiossauros —, lulas, insetos e outras criaturas, que compõem mais de 180 exemplares.

Foto: Ghedoghedo/CC-BY-3.0 / Canaltech

O mais impressionante dos fósseis é, certamente, um Pachycormus, peixe extinto de barbatanas raiadas que foi preservado em uma posição tridimensional, como se estivesse pulando para fora da argila. Incrivelmente conservado em calcário, o fóssil ainda traz tecido mole, incluindo escamas e globo ocular. Segundo os cientistas, não há fóssil melhor preservado do que esse.

O novo sítio paleontológico e seus fósseis

A região do Reino Unido onde os restos estão já esteve submersa, sendo um mar tropical e raso. Os sedimentos do local provavelmente ajudaram a preservar os fósseis: os leitos Jurássicos eram levemente horizontais, com camadas de argila suave sob camadas de calcário duro. Ao morrer, os peixes desciam até o fundo do mar, e os minerais no entorno preenchiam a estrutura original dos ossos e dentes.

Com a ação pouca ou quase nula de carniceiros, os animais eram cobertos e protegidos em ótimas condições imediatamente após afundar. Cerca de 80 metros da fazenda foram abarcados pelas escavações, descobrindo camadas preservadas no tempo. O Pachycormus estava tão bem preservado que a equipe contatou a ThinkSee3D, companhia que cria modelos digitais em 3D de fósseis, para fazer um modelo interativo do peixe, com o qual você pode interagir no link abaixo:

Uma boa quantidade de espécimes vem do Toarciano, época do Jurássico Inferior (mais antigo) entre 183 e 174 milhões de anos, incluindo belemnites (espécie cefalópode extinta parecida com uma lula), amonites, bivalves e caracóis, além de outras espécies.

Segundo os cientistas, é importante podermos comparar os fósseis encontrados no novo sítio paleontológico com outros encontrados em sítios diversos do Toarciano, não só no Reino Unido, mas em todo o mundo, até mesmo nas Américas. Um deles é o Strawberry Bank Lagerstätte, também na Inglaterra. A equipe pretende continuar escavando e estudando os espécimes, publicando um estudo sobre os achados em breve. Por enquanto, uma seleção dos fósseis será exibida no Museum in the Park, em Stroud.

Fonte: Live Science

Trending no Canaltech:

Canaltech
Publicidade
Publicidade