PUBLICIDADE

Manchas solares 15 vezes maiores que a Terra explodem

Um grande grupo de manchas solares sofreu explosões das classes C e M, de alta intensidade. É possível que mais explosões estejam a caminho nos próximos dias

23 nov 2023 - 12h40
(atualizado às 17h43)
Compartilhar
Exibir comentários

Várias manchas solares apareceram no lado do Sol voltado para a Terra. Algumas delas fazem parte do grupo AR3490 e ficaram visíveis no dia 18 de novembro, enquanto outras são do grupo AR3491. Juntas, elas formam uma das maiores e mais densas regiões de manchas solares já vistas em mais de uma década.

Foto: NASA/SDO/HMI / Canaltech

Como os cientistas já estavam monitorando as ondulações na superfície do Sol, a aparição destas manchas era esperada. Desde quando ficaram visíveis, as manchas se separaram em grupos menores, chamados AR3492, AR3495, AR3496 e AR3497.

Estas manchas se estendem por uma área de aproximadamente 200 mil quilômetros de extensão, o equivalente a mais de 15 vezes o tamanho da Terra. Elas já causaram cerca de 15 explosões das classes C e M, as terceiras e segunda mais intensas, respectivamente.

É possível que aconteçam explosões da classe X (a mais forte) nos próximos dias. Além disso, estes fenômenos podem causar também erupções de massa coronal, que liberam enormes quantidades de plasma solar pelo espaço.

Quando estas nuvens de partículas chegam ao nosso planeta, são capazes de inciiar grandes tempestades geomagnéticas. Eventos do tipo podem ter efeitos variados, como blecautes de rádio e auroras boreais.

O que são manchas solares?

As manchas solares são regiões na superfície do Sol formadas por fortes campos magnéticos. Elas têm cor escura porque são mais frias que seus arredores: enquanto a fotosfera do Sol (a superfície do astro) chega a 5.500 ºC, a parte central das manchas tem temperaturas de 3.500 ºC. Ao monitorar a frequência e intensidade das manchas, os cientistas podem determinar os níveis de intensidade da atividade do Sol em seu ciclo de 11 anos.

O surgimento deste novo grupo de manchas, por exemplo, indica que nosso astro está chegando ao máximo solar, nome dado ao período de maior atividade em seu ciclo. Segundo um relatório da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA), o próximo máximo solar pode acontecer em 2024.

Fonte: SpaceWeather

Trending no Canaltech:

Canaltech
Compartilhar
Publicidade
Publicidade