PUBLICIDADE

Jaqueta usada por Buzz Aldrin na Lua é leiloada por valor recorde

A jaqueta foi vendida por US$ 2,77 milhões, sendo o artefato espacial mais valioso dos EUA já arrematado em um leilão; Aldrin usou a peça durante a Apollo 11

27 jul 2022 - 19h00
(atualizado às 21h03)
Ver comentários
Publicidade

A jaqueta usada por Buzz Aldrin durante a missão Apollo 11, que levou os primeiros homens à Lua em 1969, foi vendida por US$ 2,77 milhões no leilão Buzz Aldrin: American Icon (ou "Buzz Aldrin: Ícone Americano", em tradução literal), realizado nesta terça-feira (26). Com a venda, o item se tornou o artefato espacial mais caro dos Estados Unidos já vendido em um leilão, sendo também a jaqueta mais valiosa já leiloada.

Usada por Aldrin durante a viagem a bordo do módulo de comando Columbia, a jaqueta branca tem a etiqueta com o nome de Aldrin no lado esquerdo do peito, logo acima do emblema da missão Apollo 11; no ombro esquerdo, está a bandeira dos Estados Unidos. O astronauta passou a maior parte de sua jornada de seis dias usando a jaqueta — ele a trocou pelo traje pressurizado para caminhar na Lua.

Após passar mais de 21 horas na superfície lunar, Aldrin e Neil Armstrong voltaram ao módulo de comando e vestiram novamente as jaquetas de voo. A peça é feita de material resistente ao fogo, usado nos trajes dos astronautas após o incêndio que matou a tripulação da Apollo 1, em 1967. Este é o único item de vestuário da missão de 1969 já vendido.

"Foi um privilégio trabalhar ao lado de Buzz para trazer objetos tão prestigiosos ao mercado pela primeira vez, e o recorde quebrado hoje prova o significado longo e duradouro da missão Apollo 11, cerca de 53 anos após o primeiro homem andar na Lua", disse Cassandra Halton, diretora de ciência e cultura popular na Sotheby's, organizadora do leilão.

O item foi comprado por uma pessoa que preferiu não se identificar, e que participou do leilão por telefone. Entre outros artefatos do leilão, estava um plano de voo de nove páginas, que descrevia um resumo completo da missão à amerissagem (o retorno no mar). O documento foi vendido por US$ 819 mil, valor cinco vezes acima das estimativas.

Fonte: The Guardian, BBC

Trending no Canaltech:

Canaltech
Publicidade
Publicidade