PUBLICIDADE

James Webb encontra as galáxias mais antigas que já vimos no universo

GLASS-z13 e GLASS-z11 são vistas como eram apenas 300 milhões de anos após o Big Bang, e são 100 milhões de anos mais velhas que a recordista anterior

20 jul 2022 - 14h45
(atualizado às 17h21)
Ver comentários

O telescópio espacial James Webb nem completou duas semanas de operação e já está fazendo história. Pesquisadores do Harvard and Smithsonian Centre of Astrophysics, em Massachusetts, nos EUA, anunciaram a descoberta de duas galáxias que podem ser as mais antigas que já vimos no universo.

A primeira galáxia se chama GLASS-z13, e está a 13,5 bilhões de anos-luz de nós. Ou seja, nós a vemos como era apenas 300 milhões de anos após o Big Bang, a explosão que deu origem ao nosso universo. Isso a torna 100 milhões de anos mais velha que a antiga recordista, a GN-z11, observada pelo Hubble em 2016.

Uma segunda galáxia, chamada GLASS-z11, tem idade similar. Elas têm uma massa correspondente à de galáxias formadas 500 milhões de anos após o Big Bang, o que leva os cientistas a acreditar que suas estrelas se formaram antes do esperado. Ambas são pequenas comparadas à nossa galáxia, a Via Láctea, que tem 100 mil anos-luz de diâmetro. GLASS-z13 tem apenas 1.600 anos-luz, enquanto a GLASS-z11 mede 2.300 anos-luz.

Foto: NASA/ESA/Adam G. Riess (STScI, JHU) / Canaltech

A descoberta ainda depende de confirmação independente. "Encontramos duas candidatas muito promissoras a galáxias extremamente distantes", disse à New Scientist Rohan Naidu, estudante de graduação envolvido no estudo.

"Se essas galáxias estiverem na distância em que acreditamos que estão, o universo tinha apenas alguns milhares de anos de idade naquele ponto".

Fonte: New Scientist

Trending no Canaltech:

Canaltech
Publicidade
Publicidade