Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Hérnia de disco: entenda o caso de Wesley Safadão

O cantor foi internado e precisará se afastar dos palcos devido a hérnia de disco. Médico explica os impactos da dor e como evitá-la

1 jul 2022 - 10h30
Compartilhar
Hérnia de disco: entenda o caso de Wesley Safadão
Hérnia de disco: entenda o caso de Wesley Safadão
Foto: Reprodução Instagram @wesleysafadao / Saúde em Dia

Wesley Safadão vai precisar se afastar temporariamente dos palcos por conta de uma hérnia de disco. A equipe do cantor divulgou uma nota informando o afastamento: 

"Safadão foi diagnosticado com hérnia discal entre a terceira e a quarta vértebra lombar, com estreitamento do canal vertebral e importante compressão das estruturas neurológicas dentro deste canal. Ele ficará internado para tratamento intenso e permanecerá em repouso até uma nova avaliação médica. Por esse motivo, em respeito a todos que acompanham o seu trabalho e principalmente para preservar a sua saúde, os shows agendados até 6 de julho serão cancelados. Agradecemos o carinho e a compreensão de todos e vamos permanecer em oração para sua rápida recuperação e volta aos palcos", informou a nota.

Publicidade

As apresentações do último final de semana também foram canceladas por conta da lesão na coluna do cantor. Ele se queixou de dor na sexta-feira, 24, e declarou que "dói até para cantar".

Impactos da hérnia de disco

O neurocirurgião do Hospital Albert Einstein e da Rede D'Or, Dr. Wanderley de Cerqueira Lima, alerta para os impactos que as dores na coluna têm sobre a vida pessoal e profissional, condição que atinge milhões de brasileiros. 

"A dor lombar é uma causa frequente de idas ao pronto socorro e também de ausências frequentes no trabalho, como aconteceu agora com o cantor Wesley Safadão, que teve que se ausentar dos compromissos, e shows para tratar da coluna", afirma. De acordo com informações do Ministério da Saúde, as dores lombares ou lombalgias, são a maior causa de faltas no trabalho dos brasileiros.

Publicidade

Mas os impactos vão além das obrigações diárias. Conforme explica o especialista, conviver com hérnia de disco pode causar grandes danos físicos - e até mesmo financeiros. "Tratar esses problemas só traz benefícios para o indivíduo e para toda a sociedade que cada vez mais sofre com tantos problemas desse tipo", destaca o médico.

 O que pode causar as dores na lombar

Muitas pessoas sentem dor na lombar pelo menos uma vez na vida. De acordo com o Dr. Wanderley, as causas para o desconforto podem ser: 

  • Estiramento muscular;
  • Obtura de disco lombar (que perde a função de amortecimento entre as vértebras, podendo comprimir o nervo);
  • Osteoartrite (reduz o espaço do canal vertebral);
  • Estenose espinhal;
  • Escoliose;
  • Osteoporose.

A dores podem ser agudas, quando duram até 6 semanas, ou dores crônicas quando se prolongam acima de 6 semanas.

Publicidade

O médico destaca ainda os principais fatores de risco:

  • Idade, começa entre 30 e 40 anos;
  • Falta de exercícios físicos, o que leva à fraqueza muscular;
  • Excesso de peso;
  • Levantar-se inapropriadamente;
  • Tabagismo.

Como evitar a hérnia de disco e prevenir outras dores

Segundo o neurocirurgião, as medidas preventivas para se evitar hérnia de disco lombar e outras dores na coluna incluem: 

  • Exercícios de baixo impacto;
  • Fortalecimento muscular e flexibilidade;
  • Manter o peso ideal;
  • Evitar movimentos bruscos;
  • Levantar e sentar mantendo uma boa postura;
  • Evitar levantar peso em excesso;
  • Abandonar o cigarro.

O médico recomenda realizar uma mudança no estilo de vida, evitando atividades que pioram a dor durante o processo de recuperação ou tratamento. 

Publicidade

De acordo com ele, não há evidências definitivas sobre calçados específicos e suporte lombar. Também não há nenhum colchão ideal para a dor lombar, ou em casos de dor pela hérnia de disco, mas o especialista indica usar o colchão mais confortável para cada um.

Quando procurar um especialista

O Dr. Wanderley destaca a importância de buscar orientação profissional, seja de um fisiatra, ortopedia, neurologia ou neurocirurgião. É recomendado especialmente se:

  • A dor não melhorar com o tempo;
  • A dor não melhorar com o repouso;
  • A dor irradiar para uma ou ambas as pernas;
  • Sentir fraqueza;
  • Sentir adormecimento ou formigamento em uma ou em ambas as pernas;
  • Ter osteoporose;
  • Faz uso de nicotina ou álcool.

O paciente também pode buscar a medicina alternativa para aliviar a dor crônica, através de tratamentos como quiropraxia (manipulação da coluna), acupuntura, massagem, yoga e pilates, que ajuda a manter o equilíbrio e estabilizar a coluna com consciência da respiração e da postura. 

Publicidade
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações