Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

Fátima Bernardes exibe vestido de oncinha de R$ 199,90

10 jun 2021 09h32
Compartilhar

A estampa de oncinha é um clássico no guarda-roupa feminino. Pode aparecer em detalhes, numa peça só ou no look total, como fez Fátima Bernardes. O visual estiloso chamou atenção no programa "Encontro", da TV Globo, na quarta-feira (9).

Fátima Bernardes
Foto: @fatimabernardes/Instagram/Reprodução / Elas no Tapete Vermelho

Como é a produção de Fátima Bernardes?

Publicidade

A apresentadora escolheu vestido mídi na padronagem, que conta com a tendência da manga bufante. Com decote quadrado e em poliéster, está à venda na Renner por R$ 199,90. Foi incrementado com cinto preto marcando a cintura.

Para completar, cabelos presos em rabo de cavalo baixo e maquiagem leve. Fátima ainda estava com brincos dourados de argola.

Fátima Bernardes
Foto: @fatimabernardes/Instagram/Reprodução / Elas no Tapete Vermelho

Dicas para se inspirar no visual

#ficaadica1: A estampa de oncinha é bem marcante. Para evitar excessos, combine-a com poucos acessórios discretos.

#ficaadica2: As baixinhas devem tomar cuidado com o comprimento mídi, que fica abaixo dos joelhos ou até o meio da batata da perna, porque pode achatar a silhueta. A dica é apostar em uma peça um pouco mais curta ou investir em truques alongadores, como decote V, look monocromático e calçado nude. 

#ficaadica3: Cinto é uma boa pedida para marcar a cintura. Se houver muito contraste entre a cor da roupa e a do acessório, acaba criando uma linha chamativa na horizontal, o que achata a silhueta. Para driblar o efeito, vale combinar com recursos alongadores, como monocromia, listras verticais e calçado nude. 

Publicidade

#ficaadica4: Caso tenha volume na região abdominal, tome certo cuidado com o cinto. É que chama atenção justamente para onde quer disfarçar. Prefira modelos mais finos e discretos, e observe-se bem no espelho. 

#ficaadica5: As mangas bufantes faziam sucesso nos anos 80 e estão de volta. A boa notícia é que são democráticas, porque conferem volume em uma região segura: o braço. 

Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações