Nem tudo é verdade! Derrube mitos e tenha boa voz

Muita gente não se dá conta, mas há cuidados necessários para que as cordas vocais e a garganta estejam sempre protegidas.

Foto: freepik

Alterações na voz podem desencadear problemas sociais, afetar a autoestima e a segurança em si mesmo e, como consequência, reduzir a qualidade de vida e a credibilidade no desempenho profissional.

Foto: prostooleh - freepik

Por isso, a voz bem cuidada pode ser um importante aliado no dia a dia, para a conquista de objetivos. Veja como tratar da voz de forma correta.

Foto: DCStudio - freepik

Beba água. A hidratação é fundamental para a manutenção adequada das cordas vocais.

Foto: freepik

Além disso, beber água evita a necessidade de pigarrear. O pigarro, embora pareça útil para reduzir a secreção nas cordas vocais, produz, na verdade, o efeito contrário.

Foto: pxhere.com / Domínio público

Ao acordar, não se esqueça de bocejar e de se espreguiçar. São ações que reduzem a tensão no pescoço e nos ombros.

Foto: freepik

Tome banho de água morna e faça exercícios movimentando os ombros e o pescoço sob a ducha. Muitos desaconselham a água morna, mas, para esse objetivo, essa temperatura é top.

Foto: pixabay

Evite excesso de café. Mesmo sendo morno, contém cafeína que desidrata as cordas vocais e provoca acidez no estômago, causando refluxo na hora de falar.

Foto: elias shariff falla pixabay

Não exagere no consumo de bebida alcoólica. Em vez de causar relaxamento (como muitos pregam), o álcool deixa as cordas vocais amortecidas e a pessoa não consegue controlar o esforço necessário para a fala e pode acabar forçando a barra.

Foto: pixabay

Não fume! O cigarro é inimigo da voz. Aliás, inimigo da saúde como um todo. Em relação à garganta, a nicotina causa ressecamento e irritação das cordas vocais, e pode até provocar laringite.

Foto: Banco Mundial/ONU

Ao conversar, fale de forma articulada, num ritmo normal, buscando uma boa dicção e a pronúncia clara. Isso ajuda a manter o equilíbrio das cordas vocais.

Foto: Youtube/ Casa GNT

Evite falar alto ou baixo demais. Tanto o grito como o sussurro não fazem bem para as cordas vocais, pois exigem um maior esforço e podem causar nódulos na musculatura.

Foto: pixabay

Respire pelo nariz. A respiração pela boca, comum em pessoas que têm problemas alérgicos, resseca a garganta.

Foto: sasin tapchai pixavay

Evite alimentos de difícil digestão. O refluxo gástrico tem uma acidez que prejudica a garganta. O ideal é comer alimentos saudáveis, mastigar bem e não ficar muito tempo em jejum.

Foto: Anastasia gepp pixabay

Os condimentos com base em pimenta merecem uma alerta especial: são irritantes para as cordas vocais. E, depois de ingeridos, nem mesmo a água resolve. Leva tempo para a garganta voltar ao normal.

Foto: pxhere.com / Domínio público

Coma maçã: a fruta tem ação adstringente, ou seja, ajuda a limpar a garganta, tirando rouquidão e sensação de pigarro.

Foto: mploscar pixabay

Tome chá de limão com gengibre e mel: essa mistura provoca uma ação antibacteriana e antiinflamatória.

Foto: jill wellington pixabay

Faça gargarejos com água morna e sal: isso ajuda a retirar as impurezas, a higienizar a garganta e tirar a rouquidão.

Foto: divulgação Mônica Sá

Cuidado com o própolis: embora seja apontado como benéfico para a voz, ele tem uma capacidade de causar anestesia, mascarando os problemas. Pode ser usado com moderação, principalmente à noite, pois é relaxante. Tem efeito cicatrizante para o tratamento da garganta.

Foto: divulgação

Consuma mel: este alimento contém bactérias benéficas que ajudam a combater patógenos e reforçam a ação de antibióticos (se a pessoa estiver gripada). O mel protege a saúde da garganta e das cordas vocais.

Foto: Reprodução do site ncultura.pt/cafe-com-mel

Acompanhe o Terra

Diariamente o Terra traz conteúdos para você se manter informado. Acesse o site e nos siga nas redes.

Foto: freepik