Os maiores atiradores de elite do mundo

Quando chegou à Ucrânia para lutar contra os invasores russos, o atirador de elite (sniper) Wali provocou comentários - uns falsos, outros verdadeiros.

Foto: reprodução redes sociais

Wali é considerado um dos maiores snipers da história por sua precisão em tiros de longa distância. Ele é o atual recordista ao abater um inimigo durante a guerra do Iraque a uma distância de 3,5km, quebrando um recorde que já era incrível (2,4km).

Foto: reprodução Twitter

Acertar um alvo humano a 400m é considerado façanha para poucos. Acima de 500m, um sniper já é considerado muito bom. Afinal, a esta distância, vento e pressão atmosférica prejudicam muito a mira. Imagina então acertar um alvo a 3,5km (35 campos de futebol).

Foto: BiZkettE1 .freepik

O canadense integra uma seleta lista dos melhores snipers da história. E o FLIPAR mostra agora quem são eles.

Foto: Soliroeg wikimedia commons

Francis Pegahmagabow (Canadense) - Nasceu em 1891 e morreu em 1952. Celebridade no Canadá e o atirador que ajudou a construir a fama de que os canadenses produzem alguns dos melhores atiradores do mundo.

Foto: Domínio público

Vasily Zaytsev (Rússia) - Nasceu em 1915 e morreu em 1991. O mais renomado dos snipers russos e herói da II Guerra. Suas façanhas ocorreram na Batalha de Stalingrado (hoje Volgogrado), contra o exército alemão. Oficialmente abateu 252 inimigos com seu fuzil Mosin-Nagant.

Foto: Mil.ru wikimedia commons

Ainda durante a guerra se criaram várias lendas em torno dele (primeiro à esquerda na foto), incluindo o fato de que o melhor atirador alemão passou a ter como única missão matar Zaytsev.

Foto: Domínio Público

Esta história nunca foi confirmada, mas virou um filme famoso: "Circulo de Fogo", em que Zaytsev é interpretado por Jude Law (foto). O filme aumentou a fama do atirador no mundo. Ele morreu em 1991 aos 76 anos.

Foto: Divulgação

Ivan Sodorenko (Rússia) - Nasceu em 1919. Embora sem a fama de Vasily Zaytsev, abateu 502 inimigos alemães. Considerado o militar russo com a maior precisão que já existiu. Ganhou o título de herói de guerra e passou a ser o mais respeitado professor de tiro do país. O major Sodorenko morreu em 1994.

Foto: Domínio público

Lyudmila Pavlichenko (Ucrânia) - Nasceu em 1916 em Bila Tserkva, a 80 km de Kiev. Morreu em 1974. Foi a melhor sniper feminina de todos os tempos. Campeã de todos os torneios de tiro de que participou (contra homens), alistou-se durante a II Guerra e logo virou lenda, especialista em eliminar snipers inimigos.

Foto: Domínio público

Das 187 mortes de inimigos confirmadas (309 extraoficiais), 36 foram de atiradores alemães. Lyudmila usava o Tokarev SVT-40. Ela acabou sendo ferida na guerra e, depois de recuperar-se, passou a ser instrutora.

Foto: Armémuseum wikimedia commons

Carlos Hathcock (EUA) - Nasceu em 1942 e morreu em 1999. Este fuzileiro foi o sniper de maior fama na guerra do Vietnã. Campeão americano de tiro de 1965, foi para a guerra em 1966. Em números oficiais abateu 93 inimigos. Extraoficialmente foram 400.

Foto: Domínio público

Seu armamento era uma Winchester 70 (na foto, sendo usada por Hathcock). Ganhou várias honrarias militares (incluindo a cobiçada Estrela de Prata). Mas a maior homenagem foi algo raro: um armamento que leva seu nome. Ou melhor, seu apelido.

Foto: wikimedia commons

É o fuzil M-25 White Feather (Pena Branca). Era assim que os vietnamitas se referiam ao sniper.

Foto: domínio público

As façanhas deste sargento serviram como base para o filme "Sniper" de 1993, com Tom Berenger. Hathcock morreu de esclerose aos 57 anos.

Foto: Divulgação

Juba (Iraque) - Seu nascimento é desconhecido, assim como seu nome. Porém, ganhou muita fama porque filmava os seus tiros que abatiam soldados americanos e divulgava na internet (foto meramente ilustrativa).

Foto: reprodução wikimedia commons

Imagina-se que tenha morrido em combate, pois desde 2008 não publicou mais vídeos. O filme "The Wall" (2017) tem Juba como o grande inimigo americano no Iraque. Como curiosidade: muitos atiradores iraquianos gostam de ser chamados de Juba.

Foto: Divulgação

Chris Kyle (Estados Unidos) - Nasceu em 1974 e morreu em 2013. Atirador de elite da Marinha (Seals), construiu a fama por abater oficialmente 160 inimigos. Assim como Hathcock, já citado anteriormente, ganhou a condecoração "Estrela de Prata".

Foto: Domínio público

Tornou-se celebridade nos Estados Unidos e ganhou fama mundial por causa do filme "Sniper Americano" (2014), que conta a sua história e é baseado em seu livro de mesmo nome. Kyle é interpretado por Bradley Cooper (foto de cena do filme).

Foto: Divulgação

Tinha o apelido de "A Lenda". Morreu de forma trágica. Já fora do exército, foi a um stand dar tiros esportivos e um veterano de guerra com problemas mentais o matou. Seu assassino está em prisão perpétua. Um memorial (foto) foi feito para Kyle no Texas.

Foto: Cowsthatfloat wikimedia commons

Simo Hayha (Finlândia) - Nasceu em 1905 e morreu em 2002. É o Pelé dos Snipers e primeiro colocado em todas as listas sobre atiradores. Não por acaso. Em 1939, famoso por sua perícia, foi convocado para combater a Rússia, que havia invadido o país. E arrasou.

Foto: Domínio público

Camuflando-se no gelo e com arma obsoleta na época (sem mira telescópica) abateu 505 inimigos em números registrados (e 709 extraoficialmente). Como usava camuflagem branca nesta batalha na neve, ganhou o apelido de Morte Branca.

Foto: Domínio público

Craig Harrison (Inglaterra) - Ficou famoso quando, em 2009, durante a guerra contra os talibãs afegãos, deu dois tiros a uma distância de 2,5km. Cada um abateu um inimigo. Normalmente um atirador é elogiado ao acertar alvos a 400m. O feito de Craig foi considerado uma façanha. Um recorde que demorou para ser quebrado.

Foto: Mike Searson wikimedia commons

Craig Harrison atuou nas Forças Armadas Britânicas entre 1990 e 2014. O seu fuzil era o McMillan TAC-50, já mostrado nesta galeria, uma "Ferrari" das armas de longa distância.

Foto: Marco italia españa wikimedia commons

Todos esses fazem parte de uma história que tem um capítulo particular na história das guerras. Atiradores altamente letais à distância e, por isso, extremamente temidos.

Foto: Imagem de Clker-Free-Vector-Images por Pixabay

Acompanhe o Terra

Diariamente o Terra traz conteúdos para você se manter informado. Acesse o site e nos siga nas redes.

Foto: reprodução redes sociais