Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Sete recordes quebrados na última temporada da F1

A temporada de 2021 foi histórica, com várias corridas legais e um final polêmico. Além disso, houve a quebra de vários recordes

20 jan 2022 10h05
Compartilhar

1 - Vitórias na mesma pista

Max Verstappen no GP da Áustria
Max Verstappen no GP da Áustria
Foto: Red Bull Racing / Twitter

Pela primeira vez na história da F1, um piloto conseguiu vencer no mesmo circuito e no mesmo ano. Isso aconteceu pois o circuito de Red Bull Ring recebeu duas provas graças às mudanças que cancelaram o GP do Canadá e posteriormente seu substituto: Turquia, que acabou substituindo o Japão em Setembro. 

Publicidade

Com duas provas, a Red Bull se sentiu literalmente em casa. O carro casou muito bem com circuito e a performance de Max Verstappen foi dominante nas duas provas. A F1 começou a ter “rodadas duplas” ano passado por conta da pandemia. Foram três: Red Bull Ring, Silverstone e Bahrein, o último com traçados diferentes. 

2 - Pódios em uma temporada

Max Verstappen no pódio do GP da Áustria
Foto: Red Bull Racing / Twitter

O recorde anterior era de 17 pódios. Primeiro, de Michael Schumacher que, em 2002, conquistou pódios em todas as corridas daquela temporada. Posteriormente, Vettel e Hamilton chegaram a esta marca. Mas nesta temporada, Max Verstappen impressionou pela regularidade. Tirando Hungria quando teve problemas e as outras três provas que não completou: Azerbaijão, Silverstone e Itália, terminou em primeiro ou segundo em todas as outras. No fim, obteve 18 pódios e bateu o recorde. 

3 - Voltas na liderança

Publicidade
Lewis Hamilton cruzando a linha de chegada em primeiro no GP da Grã-Bretanha
Foto: Mercedes-AMG F1 / Twitter

Lewis Hamilton já era o recordista de km na liderança, mas não de voltas. Isso só aconteceu após ele vencer o GP do Bahrein, a primeira etapa da temporada, superando as 5.111 voltas de Michael Schumacher. Esse recorde só aumentou, fechando em 5.396 voltas.

4 - Campeonatos consecutivos de motores

Valtteri Bottas no GP de São Paulo
Foto: Mercedes-AMG F1 / Twitter

Entre 1968 e 1974, o motor Ford Cosworth reinou no grid da F1. Ele equipava a maioria dos times.  Nesses anos tivemos Lotus, Matra, Tyrrell e McLaren campeãs com o poderoso DFV 3.0 V8, em um total de sete títulos seguidos. Mas esse ano a Mercedes aumentou seu recorde como equipe, que já tinha batido o número da Ferrari, que obteve seis títulos entre 1999 e 2004. Os alemães já conseguiram oito, batendo um recorde que já durava 47 anos. 

5 - Menor GP da história

Publicidade
Safety Car liderando o pelotão no GP da Bélgica
Foto: F1 / Twitter

Este com certeza não é um recorde positivo. Até então, o recorde era do GP da Austrália de 1991, quando Ayrton Senna venceu uma corrida que teve apenas 14 voltas, graças a uma chuva torrencial. Menos mal que era a última etapa e o campeonato já estava decidido. O GP da Bélgica de 2021 acabou marcando negativamente a história da F1, tendo quatro horas de duração e apenas uma volta.

A chuva foi intensa durante todo o final de semana. No domingo, não se dava mostras que o tempo daria trégua. Porém, o diretor de prova, Michael Masi, manteve as esperanças, mas no fim, acabou que os carros só correram mesmo atrás do Safety Car com apenas uma volta válida, após quatro horas de enrolação. Foram dados metade dos pontos. Max Verstappen saiu como vencedor com 12,5 pontos e seu maior adversário ao título, Lewis Hamilton, com 7,5 pontos.

6 - Menor número de carro largando do grid

Lewis Hamilton largando sozinho no GP da Hungria
Foto: F1 / Twitter

O GP da Hungria foi uma das melhores corridas da temporada, com a vitória de Estaban Ocon, da Alpine. Mas um fato curioso aconteceu: após a largada,aconteceu um mega acidente na chuva, causado por Valtteri Bottas (Mercedes) e Lance Stroll (Aston Martin), que atingiram Max Verstappen (Red Bull), Sergio Perez (Red Bull), Lando Norris (McLaren), Daniel Ricciardo (McLaren) e Charles Leclerc (Ferrari). Apenas Ricciardo e Verstappen conseguiram continuar, mas com danos no carro. Isso causou uma bandeira vermelha.

Publicidade

A relargada foi parada, mas a pista estava secando. Os 15 carros restantes deveriam se alinhar no grid, mas isso não aconteceu. Todos foram para os boxes trocar pneus, menos um: Lewis Hamilton, o que gerou o recorde de apenas um carro largando no grid. O heptacampeão teve que parar em seguida, caindo para último. Mas se recuperou cruzando a linha em terceiro, posteriormente subindo para  a segunda posição, com a desclassificação de Sebastian Vettel.

7 - Maior intervalo entre pódios

Fernando Alonso comemorando no pódio do GP do Catar
Foto: F1 / Twitter

Fernando Alonso chegou ao pódio no GP do Qatar. Ele não conseguia esse feito desde o GP da Hungria de 2014. Com isso, ele bateu o recorde que era de Alexander Wurz de 128 GPs, entre o GP de Grã-Bretanha de 1997 e o GP de San Marino de 2005, foram 146 GPs no caso do espanhol.

Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações