Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Samsung Galaxy Buds 2: básico com gostinho de Buds Pro

Com recursos avançados, Samsung Galaxy Buds 2 se aproxima do Galaxy Buds Pro e entrega som vivo, mas com alguns deslizes

1 dez 2021 20h12
| atualizado em 2/12/2021 às 11h26
Compartilhar
Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

Combinando recursos avançados com design simples, o Galaxy Buds 2 é o mais recente fone totalmente sem fio da Samsung. Pode-se dizer que ele chega ao mercado para substituir outros dois fones populares: o Galaxy Buds e o Galaxy Buds+. Com destaque para o cancelamento ativo de ruído (ANC) e o Bluetooth 5.2, o Buds 2 está posicionado como TWS intermediário e é vendido por menos de R$ 700.

O Galaxy Buds Pro e os feijões Buds Live se saíram bem nos testes de som, mas será que o Buds 2 tem o mesmo nível de qualidade? Para descobrir, eu passei vários dias com o conjunto de fones de ouvido da Samsung para 2021 e compartilho a minha experiência neste review.

Publicidade

Análise do Samsung Galaxy Buds 2 em vídeo

Análise do Samsung Galaxy Buds 2
Video Player

 

Aviso de ética

O Tecnoblog é um veículo jornalístico independente que ajuda as pessoas a tomarem sua próxima decisão de compra desde 2005. Nossas análises não têm intenção publicitária, por isso ressaltam os pontos positivos e negativos de cada produto. Nenhuma empresa pagou, revisou ou teve acesso antecipado a este conteúdo.

O Galaxy Buds 2 foi fornecido pela Samsung por empréstimo e será devolvido à empresa após os testes. Para mais informações, acesse tecnoblog.net/etica.

Design, conforto e case

Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

O Galaxy Buds 2 não tem o formato icônico de feijão do Buds Live nem a sofisticação do Buds Pro. A Samsung investiu num design simples sem entregar nenhum detalhe de sofisticação no corpo, mas isso não é um fato negativo. O material empregado aparenta ser de qualidade e o formato bolinha me contenta por deixar os dispositivos discretos na orelha. A Samsung enviou para nós a versão branca, que eu achei bonita, e você ainda encontra ele em preto, verde e violeta.

O Buds 2 esteve muito presente na minha rotina. Na rua e na academia, os fones não promovem nenhum tipo de desconforto. Ambos ficam bem encaixados no canal auditivo, não geram pressão nem pesaram na orelha durante as longas horas que passei ouvindo música. É bom reforçar que, quando eles não estão encaixados corretamente, o risco de pular da orelha é grande — aconteceu comigo, foi assustador, mas eles sobreviveram.

Publicidade
Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog
Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

Eu gostei de treinar com o Galaxy Buds 2, mas ele não é o melhor fone para quem pratica exercícios regularmente. Enquanto muitas empresas oferecem IPX4 ou IPX7, a Samsung entrega apenas IPX2, isso quer dizer que o produto só aguenta respingos d'água e pegar uma chuva intensa pode ser fatal.

Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

O estojo é inspirado no do Galaxy Buds Pro. A fabricante ainda aposta no design caixinha de aliança que deu muito certo. Ele é compacto, cabe facilmente no bolso da calça e a Samsung está de parabéns pelo acabamento: todos são brancos por fora e a parte interna acompanha a cor dos fones. Este case traz um LED para acompanhar a autonomia e a conexão USB para alimentação. Outro destaque é o carregamento sem fio, que ele já suporta.

Recursos e conectividade

Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

O Buds 2 é um true wireless projetado para o ecossistema Galaxy, mas isso não significa que ele não vai funcionar em outros aparelhos Android e no iOS. Em seus smartphones, seguindo os passos da Apple, a Samsung exibe um balão quando você abre o case dos fones e já sugere o pareamento. O Galaxy Wearable é o aplicativo que a empresa disponibiliza com um conjunto de recursos. É possível ativar e desativar o cancelamento de ruído e o modo som ambiente, localizar os fones, checar o nível da bateria e configurar os toques.

É viável reproduzir e pausar faixas, pular e retroceder, e ajustar o volume. No geral, todos os comandos funcionam sem problemas, mas só o controle de volume que poderia ser mais ágil após o toque. O Galaxy Wearable ainda oferece um equalizador, porém é algo simples, com modos pré-definidos, sem a possibilidade de ajustar as frequências. Se você está no iOS, eu consegui usar os dispositivos da coreana no iPhone, mas infelizmente você perde algumas funções que estão restritas ao ecossistema da Samsung.

Publicidade
Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog
Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

O Bluetooth 5.2 faz parte das especificações do fone. Eu gosto dessa tecnologia por garantir eficiência enérgica e aprimorar a qualidade sonora, que é o nosso próximo tópico. Ainda em termos de conectividade, a latência praticamente não existe, os vestíveis têm um comportamento excelente e não perdem a conexão com facilidade, mesmo quando o celular está distante.

Qualidade de som e microfone

Fones Bluetooth Beats Studio Buds, Redmi Buds 3 Pro, Samsung Galaxy Buds 2 e Huawei FreeBuds 4i
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

A qualidade sonora do Galaxy Buds 2 me conquistou logo nos primeiros minutos de uso. Ele não tem a neutralidade dos AirPods e do Beats Studio Buds, mas oferece a mesma energia do Huawei FreeBuds 4i e do Redmi Buds 3 Pro, que eu gosto bastante. Há muito espaço para os graves e sub-graves, por isso, pop, eletrônica e hip-hop tocam com entusiasmo. Também foi possível identificar um brilho nos agudos, característica que já tínhamos identificado no Galaxy Buds Pro e que nem sempre funciona bem.

Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

Em Woman, da Doja Cat, o vocal soa acentuado, mas são as batidas que roubam a cena e ficam em destaque em toda a faixa sem incomodar as outras frequências. Esse perfil agrada os meus ouvidos apaixonados por áudio encorpado, mas em volumes altos essa força toda cansa. Agora o ponto fraco dele são rock e MPB. É quase impossível escutar Tropicália, do Caetano Veloso, devido à embolação e ao brilho excessivo sobre os médios e agudos.

Tocando Aerosmith, a apresentação de Cryin deixa ainda mais evidente esse ponto negativo do Galaxy Buds 2: médios, agudos e vocal se misturam e geram uma estridência incômoda. Recorrendo ao equalizador do Galaxy Wearable, apenas o modo Suave melhorou um pouco a sonoridade, mas ainda incomodava em algumas regiões. Tudo isso quer dizer que o som do Buds 2 é ruim? Não. Eu ouvi muita coisa nesta geração e gostei da execução em muitas faixas e gêneros, mas existe uma limitação que não podemos ignorar.

Publicidade
Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

Em termos de captação de voz, o Galaxy Buds 2 está equipado com três microfones e o desempenho é o seguinte: não tem como fugir da compressão do Bluetooth e ela fica muito evidente durante a comunicação. Com ruídos em volta, a pessoa do outro lado da linha consegue lhe ouvir sem incômodos. Não são os melhores componentes da categoria, mas eles dão conta do recado.

Cancelamento de ruído e bateria

O cancelamento ativo de ruído (ANC) do Galaxy Buds 2 me surpreendeu positivamente. Eu achei o desempenho equivalente ao do Huawei FreeBuds 4i e é muito superior quando comparado ao do Beats Studio Buds. A fabricante dos fones explica que dois microfones captam o barulho externo e a tecnologia noise cancelling faz o bloqueio desse ruído intruso. Não é exagero dizer que esse é um dos melhores ANC em um fone TWS em 2021. Eu testei a tecnologia no escritório, na rua, no metrô, em estações de trem e na academia — a performance foi boa em todos esses ambientes.

Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

Duas coisas me chamaram a atenção: o recurso presente no Galaxy Buds 2 não altera o tom da música quando ativado e, diferente do Redmi Buds 3 Pro, ele não gera pressão. Durante o treino, ele foi capaz de cortar a música alta da academia; na rua eu tive que me atentar para não correr o risco de ser atropelado, porque o ANC lida bem com sons de carros, motos e outros barulhos do cotidiano. No metrô de São Paulo, ele conseguiu reduzir radicalmente o ruído da locomotiva, mas não blindou da mesma forma as vozes altas de algumas pessoas que estavam perto de mim.

O modo ambiente, que permite escutar o que acontece à sua volta sem precisar remover os fones, é um pouco exagerado e agressivo. Dependendo do local, o ruído que entra nos microfones pode incomodar devido à intensidade. Poderia ser mais natural, ao menos você não vai precisar contar com esse recurso sempre e ele pode ser desativado facilmente.

Publicidade
Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

Partindo para a autonomia, a Samsung diz o seguinte: o Galaxy Buds 2 pode tocar por 5 horas consecutivas com ANC e, acompanhado do estojo, ela avança para 20 horas. Se analisarmos bem, são números que não impressionam, tendo em vista que há fones que entregam seis, sete e até oito horas de som. Em um dia de teste, tivemos este resultado: o Buds direito tocou por 7h14min e o esquerdo desligou 16 minutos depois. Eles estavam reproduzindo com o ANC ligado e com o volume em 50%, portanto, resultado muito bom.

Samsung Galaxy Buds 2: vale a pena?

Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

O Galaxy Buds 2 não é o melhor fone TWS da Samsung no momento, mas é, sem dúvidas, uma boa opção para quem busca um gadget acessível com cancelamento ativo de ruído. Para quem já está no ecossistema Galaxy vai se beneficiar da boa integração entre os devices e de recursos e experiências exclusivas. Isso, no entanto, não quer dizer que usuários de outros sistemas ficaram esquecidos no churrasco. O Buds 2 funciona bem no iPhone e com outros smartphones Android, mesmo sem entregar as funcionalidades do Galaxy Wearable.

Samsung Galaxy Buds 2
Foto: Darlan Helder/Tecnoblog / Tecnoblog

Os fones ainda representam uma boa evolução em relação ao Galaxy Buds+. Você tem aqui um ótimo cancelamento ativo de ruído, a qualidade sonora foi aprimorada, com bons graves e sub-graves. Existe, sim, um problema nos médios e agudos com músicas mais complexas, mas só ouvidos apurados devem reclamar disso. A Samsung ainda caprichou em conectividade, mas se mostrou tímida na proteção IP, afastando os praticantes de exercícios físicos.

Com o Redmi Buds 3 Pro no mercado, o Buds 2 chega para incomodar o mais novo popular TWS com cancelamento de ruído da Xiaomi. E, hoje, o Buds 3 Pro seria a minha preferência por três motivos: design, som excelente e IPX4. Os dois modelos são ótimos, mas o Galaxy tem mais pontos negativos e vai atender melhor quem já está dentro da Samsung. Apesar disso, quem optar pelo Buds 2 por gostar e confiar mais na fabricante sul-coreana, dificilmente vai se arrepender. 

Publicidade

Samsung Galaxy Buds 2: básico com gostinho de Buds Pro

Fique por dentro das principais notícias de Tecnologia
Ativar notificações