Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Como NFTs podem ser usados para lavar dinheiro? Especialistas explicam

NFTs preocupam autoridades pela possibilidade de serem usados para lavar dinheiro, mas como isso acontece? Especialistas britânicas explicam

6 dez 2021 20h36
Compartilhar

Os NFTs realmente dominaram os noticiários em 2021. No começo do ano, esse mercado movimentou milhões na venda de memes, colecionáveis e arte digital. Agora, o hype sobre o metaverso está trazendo cada vez mais tipos de tokens não fungíveis para os marketplaces. Na prática, são ativos digitais com uma alta média de valor. Por isso, autoridades já se preocupam com seu possível uso para a lavagem de dinheiro.

Tokens não fungíveis, ou NFTs
Foto: Marco Verch/Flickr / Tecnoblog

Um novo relatório de especialistas britânicas da Royal United Services Institute (RUSI) expressa não somente essa preocupação, como também explica mais detalhadamente como essa tecnologia pode ser usada por criminosos. A instituição independente de pesquisa destaca que o uso desses tokens, especialmente na arte digital, deve ser monitorado de perto.

Publicidade

O clássico método de lavagem de dinheiro, mas com NFTs

Os NFTs fornecem um registro imutável de propriedade que, conforme o mundo rapidamente caminha para a digitalização das coisas (metaversos, por exemplo), atraem cada vez mais pessoas e empresas. Assim, se cria um token, um ativo digital, para eternizar arquivos e representar a posse.

As autoras do documento, Allison Owen e Isabella Chase, destacam que esses NFTs podem não apenas ser comercializados, mas também revendidos posteriormente. Além disso, é possível vincular um percentual de royalties sobre cada transação que são revertidos ao dono original do token.

Vale lembrar que as transações de NFTs são em sua maioria realizadas com criptomoedas em marketplaces online. Ainda que moedas digitais operem em blockchain e sejam rastreáveis por natureza, as especialistas lembram que criminosos conseguem, através do uso de diversas ferramentas e técnicas, dificultar bastante esse rastreio, atrasando as investigações.

"Ambos os atributos tornam os NFTs especialmente atraentes para artistas digitais que desejam provar a autenticidade de seu trabalho e que, no mundo físico, receberiam apenas o pagamento pela venda inicial de seu trabalho. Embora essas características possam encorajar mais artistas a migrarem para o online, elas também podem encorajar criminosos e lavadores de dinheiro que já abusam do mercado de arte tradicional a fazer o mesmo."

Allison Owen e Isabella Chase, pesquisadoras do Royal United Services Institute

Conforme aponta o relatório, criminosos podem explorar esse mercado para lavar dinheiro, assim como já ocorre no mercado físico de arte. Ou seja, dinheiro proveniente de atos ilícitos pode ser "legitimado" e ocultado através da compra de obras de arte. Essa lógica também se aplica a versão digital desse mercado, sustentado pelos NFTs. Além disso, esse é um setor que dribla a aplicação da vasta maioria de impostos no mundo todo.

Publicidade
Obra NFT de Beeple: "Everydays: The first 5000 days", vendida por US$ 69 milhões
Foto: Reprodução / Tecnoblog

No entanto, a praticidade e dinamicidade do mercado de arte digital em NFT facilita ainda mais esse processo. Com isso, vem outro fator que também auxilia o criminoso, que é o pseudoanonimato das transações com criptomoedas e das contas em marketplaces de tokens não fungíveis.

"Pseudo" porquê as negociações são realmente rastreáveis nas redes blockchain. Tanto o pagamento em criptomoeda quanto o envio do NFT de uma carteira digital para outra são informações públicas. No entanto, o endereço de carteira digital não é necessariamente vinculado a nenhum nome ou identidade.

Além disso, a maioria das plataformas de negociação de NFTs, como o OpenSea, não pede quase nenhum tipo de verificação de conta. Na realidade, basta possuir uma carteira digital MetaMask para comprar e vender NFTs através do marketplace.

Como mitigar esses riscos?

Por isso, as pesquisadoras sugerem que "um sistema de 'conhecer seu cliente' e políticas de monitoramento contínuo, semelhante ao que já é usado no mercado de arte tradicional e em exchanges regulamentadas de criptomoedas, precisam ser implementados" também no mercado de NFTs.

Publicidade

Ou seja, esses riscos podem ser mitigados se as plataformas de negociação começarem e exigir que o usuário verifique sua identidade para acessá-la. Claro, isso pode ser bem difícil, para não dizer impossível, de ser aplicado. Autoridades têm pouquíssimo ou nenhum controle sobre os marketplaces e não é do interesse de nenhuma plataforma dificultar o acesso dos usuários.

Os argumentos das pesquisadoras são plausíveis, mas há algumas coisas que foram deixadas de fora do relatório. A lavagem de dinheiro com NFTs é muito mais viável se o dinheiro ilícito já está em criptomoeda, proveniente de pagamentos de ransomware, roubo de ativos digitais, fraudes online e etc.

Caso contrário, criminosos precisam converter o dinheiro tradicional em moedas digitais, deixando a responsabilidade nas mãos das exchanges, não nos marketplaces de NFTs. Claro, esses tokens ainda podem ser usados em mais uma etapa da lavagem de dinheiro fiduciário, caso os criminosos consigam converter a quantia para criptomoedas primeiro.

Como NFTs podem ser usados para lavar dinheiro? Especialistas explicam

Publicidade
Fique por dentro das principais notícias de Tecnologia
Ativar notificações