Trump critica ajuda à Ucrânia e fala sobre redução de impostos com republicanos

13 jun 2024 - 18h09

O ex-presidente norte-americano Donald Trump criticou nesta quinta-feira a ajuda dos Estados Unidos à Ucrânia, pediu que parlamentares republicanos diminuam impostos sobre gratificações e falou sobre tarifas durante uma visita ao Capitólio, disseram os participantes da reunião, que o político usou para criar unidade no partido antes da eleição de 5 de novembro.

Em um encontro a portas fechadas, Trump afirmou que trabalhará para expandir a pequena maioria do Partido Republicano na Câmara dos Deputados — atualmente de 218 a 213 — e ajudará a reeleger até os dois colegas de legenda remancescentes que votaram a favor de seu impeachment depois do ataque do dia 6 de janeiro de 2021 contra o Capitólio, perpetrado pelos seus apoiadores.

Publicidade

Trump também incentivou os deputados a não buscarem uma proibição nacional do aborto e a pararem com o fogo amigo, algo que prejudicou a efetividade dos trabalhos, afirmaram parlamentares.

"Temos que planejar para liderar, porque há muitos problemas para serem resolvidos", disse o presidente da Câmara dos Deputados, Mike Johnson, após o encontro.

Tanto Trump quanto o atual presidente, Joe Biden, tiveram governos unificados nos dois primeiros anos no cargo, mas perderam o controle da Câmara dos Deputados nas eleições de meio de mandato, prejudicando suas habilidades de aprovar leis.

Os republicanos esperam que Trump derrote Biden, que o partido estenda a pequena maioria na Câmara e tome o controle do Senado, atualmente nas mãos dos democratas, por 51 a 49 assentos.

Publicidade

Trump pediu que os parlamentares cortem o Imposto de Renda sobre gorjetas, uma ideia que levantou no domingo, na tentativa de atrair o apoio de trabalhadores do setor de serviços. Ele também criticou o pacote de 60 bilhões de dólares para a Ucrânia, recentemente aprovado com apoio republicano, disseram os parlamentares.

"Ele está assim: se a Ucrânia vencer, qual será o benefício?", disse a jornalistas o deputado republicano Don Bacon, que também citou o apoio de Trump a tarifas sobre bens chineses. "Ele acabou de falar que os impostos são uma ferramenta poderosa para o Executivo. Você pode usá-la em suas negociações com a China para obter concessões", acrescentou.

O ex-presidente disse aos republicanos que eles devem permitir que cada Estado estabeleça suas próprias regras em relação ao aborto, em vez de pressionar por uma proibição nacional. Em 2022, a Suprema Corte encerrou a garantia de acesso ao aborto em todo o território. Muitos na legenda querem tornar o procedimento totalmente ilegal.

Os parlamentares também afirmaram que Trump incentivou a congressista de extrema-direita Marjorie Taylor Greene, que liderou uma tentativa mal-sucedida de derrubar Johnson, a trabalhar de forma construtiva com o presidente da Câmara.

Publicidade
Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Curtiu? Fique por dentro das principais notícias através do nosso ZAP
Inscreva-se