Mais de 1.000 cursos com certificado por menos de R$0,70 por dia.

Separatistas vencem eleição na Escócia e pedem novo plebiscito

Brexit reacendeu ânimo nacionalista no território

9 mai 2021 13h38
| atualizado às 14h14
Compartilhar

O Partido Nacional Escocês (SNP) venceu as eleições para o Parlamento local, cujos resultados definitivos foram divulgados na noite deste sábado (8), e renovou o pleito por um novo plebiscito de independência no território.

Nicola Sturgeon, a líder dos nacionalistas escoceses
Foto: EPA / Ansa - Brasil

O SNP, liderado pela primeira-ministra da Escócia, Nicola Sturgeon, conquistou 64 dos 129 assentos em jogo, apenas um a menos do que o necessário para garantir maioria absoluta. Conservadores (31 cadeiras) e Trabalhistas (22) confirmaram suas posições de segunda e terceira forças.

Publicidade

O resultado manteve praticamente inalterada a divisão de poder no Parlamento local. "Simplesmente não há nenhuma justificativa democrática para Boris Johnson ou qualquer outra pessoa tentar bloquear o direito do povo da Escócia de escolher seu próprio futuro", declarou Sturgeon.

O premiê britânico, por sua vez, parabenizou a líder escocesa, mas disse que os interesses do Reino Unido são melhor servidos quando "trabalhamos juntos". Contabilizando os Verdes, com oito cadeiras, o Parlamento da Escócia tem uma maioria clara a favor da independência e maior do que na legislatura anterior (72 contra 69).

Apesar disso, Johnson afirma que convocar um novo plebiscito no "contexto atual seria irresponsável e imprudente", enquanto o plano de Sturgeon é realizar a consulta popular até o fim de 2023, após a pandemia do novo coronavírus.

A Escócia fez um plebiscito separatista em setembro de 2014, com placar de 55,3% a 44,7% a favor dos unionistas, mas o Brexit reacendeu os ânimos nacionalistas no território, que votou em peso (62% a 38%) pela permanência na União Europeia na consulta popular de 2016.

Publicidade

Eleições locais

Na Inglaterra, o Partido Conservador, chefiado por Johnson, conquistou vitórias significativas em áreas antes dominadas pelo Partido Trabalhista.

No entanto, a legenda de centro-esquerda conseguiu reeleger o prefeito de Londres, Sadiq Khan, primeiro muçulmano a governar uma capital ocidental. Khan obteve 55,2% dos votos no segundo turno, contra 44,8% do conservador Shaun Bailey.

Mas a supremacia dos Tories em âmbito nacional manteve a tendência já vista na eleição legislativa de dezembro de 2019, quando a pauta política era dominada pelas negociações do Brexit e os conservadores derrubaram o "muro vermelho" no norte da Inglaterra.

Publicidade

Dessa vez, Johnson se beneficiou do sucesso da campanha de vacinação contra o novo coronavírus, apesar de o Reino Unido ter uma das maiores taxas de mortalidade por Covid-19 no mundo

  
Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações