Rússia convoca embaixadora dos EUA e diz que haverá 'consequências' após ataque ucraniano na Crimeia

Moscou responsabilizou EUA por bombardeio que matou quatro pessoas no domingo, afirmando que Ucrânia não consegue realizar sozinha ataques com mísseis de longo alcance

24 jun 2024 - 19h40
O presidente russo Vladimir Putin
O presidente russo Vladimir Putin
Foto: Sputnik/Pavel Byrkin/Kremlin

A Rússia acusou nesta segunda-feira, 24, os Estados Unidos de "matarem crianças russas" e ameaçou represália um dia após um bombardeio ucraniano na Crimeia realizado, segundo Moscou, com mísseis americanos. Em reação ao ataque, o Ministério das Relações Exteriores da Rússia também convocou a embaixadora americana na capital russa para consultas. 

"É evidente que a participação dos Estados Unidos nos combates, a sua participação direta, que leva à morte de cidadãos russos, tem que ter consequências", declarou o porta-voz da presidência russa, Dmitri Peskov, que pediu aos jornalistas que perguntem na Europa e nos Estados Unidos "por que seus governos matam crianças russas".

Publicidade

Segundo Moscou, a Ucrânia não consegue realizar sozinha ataques com mísseis de longo alcance ATACMS, como o que foi utilizado no domingo, 23, na Crimeia, já que são necessários especialistas, tecnologia e dados da inteligência americana.

"Comunicou-se à embaixadora que tais ações de Washington (...) autorizando ataques dentro do território russo não ficariam impunes", acrescentou.

Para a Ucrânia, os alvos militares na Crimeia e no interior da Rússia são legítimos, especialmente porque as forças ucranianas estão sob pressão na frente devido à escassez de homens e armas que Kiev está sofrendo./AFP e AP.

Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações