Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Partidos encerram campanha em Portugal para eleição parlamentar imprevisível

28 jan 2022 19h10
Compartilhar

Acenando bandeiras coloridas e gritando slogans políticos, centenas de pessoas foram às ruas de Lisboa nesta sexta-feira para apoiar os candidatos que encerraram duas semanas de campanha antes das eleições parlamentares de domingo.

A eleição, convocada em novembro depois que o Parlamento rejeitou o projeto de orçamento do governo, está aberta, já que os governistas socialistas (PS) continuam perdendo sua vantagem nas pesquisas de opinião para o principal partido da oposição, os sociais-democratas, de centro-direita (PSD).

Publicidade

Ana Ferreira, de 48 anos, levou o filho Miguel para o comício do PS no Baixa Chiado, um dos bairros mais emblemáticos de Lisboa. Embora uma vitória para seu partido seja incerta, ela estava esperançosa.

"Para nosso próprio bem, (minha expectativa) é uma vitória, uma vitória muito clara", disse Ana Ferreira. "Quero que seja assegurado um futuro para todas as crianças, inclusive a minha. Quero escolas públicas para todos, saúde para todos."

Analistas dizem que a eleição provavelmente vai piorar a volatilidade política e pode produzir um governo de curta duração, uma vez que nenhum partido ou aliança deve ganhar uma maioria para realizar o trabalho.

O partido de centro-esquerda do primeiro-ministro António Costa caiu para 35% de apoio, de acordo com sondagem da ISCTE-ICS para a SIC TV e o jornal Expresso publicada nesta sexta-feira, ante 38% há um mês, enquanto o PSD subiu de 31% para 33%.

Publicidade

Num comício nesta sexta também realizado no Baixa Chiado, os partidários do PSD vestiram o laranja do partido e manifestaram otimismo.

"Espero que vençamos, e estou confiante... vejo pessoas unindo forças", disse Helena Correia, de 62 anos, enquanto esperava a chegada do líder do PSD, Rui Rio, ao ato.

Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações