Crie seu site por só R$19,90

OTAN expulsa 7 diplomatas russos por caso de ex-espião

Medida ocorre um dia após 25 países retaliarem a Rússia

27 mar 2018 11h47 - atualizado às 12h02
Compartilhar
comentários

O secretário-geral da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), Jeans Stoltenberg, anunciou nesta terça-feira (27) que vai expulsar sete diplomatas russos da missão do país na aliança militar.

OTAN expulsa 7 diplomatas russos por caso de ex-espião
Foto: ANSA / Ansa - Brasil

Com a decisão, o grupo que reúne 29 países se alinha as várias nações que adotaram o mesmo caminho que o Reino Unido em meio às investigações sobre o envenenamento do ex-espião russo Serghei Skripal e sua filha Yulia, em Salisbury.

publicidade

"Retirei hoje a credencial de sete pessoas da missão russa ante a Otan. Também vou negar os pedidos pendentes de outros três", informou Stoltenberg.

O tamanho máximo do grupo passa a ser de 20 pessoas, e não mais de 30. "As consultas nas capitais e na Otan, depois do que aconteceu em Salisbury, levaram à expulsão de 140 autoridades russas em mais de 25 aliados e parceiros da Otan. Esta é uma ampla resposta internacional e coordenada", acrescentou.

A medida é mais uma resposta ao ataque a Skripal. Ontem (26), os Estados Unidos, o Canadá e vários países europeus expulsaram mais de uma centena de funcionários e diplomatas russos de seus territórios já que para as autoridades britânicas, Moscou foi o responsável pelo envenenamento do ex-espião.

Nesta manhã, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergey Lavrov, disse que a expulsão em massa se deve à "pressão e à chantagem colossal" por parte do governo do presidente Donald Trump. "Sabemos, com toda certeza, que é o resultado de uma pressão colossal, uma chantagem colossal, que agora infelizmente é o principal instrumento de Washington na cena internacional", afirmou Lavrov no Uzbequistão, A Rússia ainda prometeu responder de maneira "recíproca" às expulsões em represália pelo envenenamento do ex-espião.

publicidade
  
publicidade