Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Mulher é suspeita de matar marido asfixiado após ele chamá-la de “velha e gorda”

Caso ocorreu em Minas Gerais; segundo a polícia, suspeita confessou o crime e teria tido a ajuda de uma vizinha

28 jun 2022 - 17h31
(atualizado às 18h06)
Compartilhar
Servidor público Sérgio Carvalho Silva, de 51 anos, foi morto no bairro Santo Antônio
Servidor público Sérgio Carvalho Silva, de 51 anos, foi morto no bairro Santo Antônio
Foto: Reprodução/EPTV

Uma mulher é suspeita de matar o marido asfixiado em Itajubá (MG). De acordo com a polícia, ela confessou o crime e disse que teve a ajuda de uma vizinha. Ambas foram detidas e prestaram depoimento na delegacia. A esposa da vítima disse aos policiais que, enquanto sufocava o companheiro, lembrava que ele a chamava de "gorda e velha".

O crime aconteceu no último sábado, 25, no bairro Santo Antônio, segundo divulgado pelo Jornal da EPTV 1ª Edição. O servidor público Sérgio Carvalho Silva tinha 51 anos.

Publicidade

Em entrevista ao veículo, o delegado da Polícia Civil, Mario Roberto Rodrigues Martins afirmou que as circunstâncias, assim como a motivação do crime e a maneira em que foi executado ainda sendo apurados.

"Inicialmente fui informado que ela teria utilizado o marido como uma maneira de treinamento de técnica de imobilização, e, aproveitando disso, teria asfixiado ele até a morte", afirmou Martins. Ainda segundo o delegado, ela acionou o socorro apenas depois.

"[A suspeita] introduziu um objeto nas vias áereas [dele], para simular que ele teria engasgado com algum tipo de alimento. Então, as investigações estão prosseguindo, para que a gente possa chegar à reconstrução histórica total dos fatos", acrescentou a autoridade policial. 

Entenda o ocorrido

Logo após o Corpo de Bombeiros ser acionado e tentar reanimar a vítima, ainda acreditava-se que o servidor público havia morrido engasgado. Porém, pouco depois a esposa afirmou que sentiu "peso na consciência" e confessou o crime. 

Publicidade

A mulher disse à polícia que mentiu para o marido que iria fazer um serviço como segurança em Pouso Alegre e, como o esposo era segurança, pediu que ele desse dicas de como imobilizar uma pessoa e se proteger em algum tipo de agressão.

Ele ensinou as técnicas, mas ela também pediu que ele a deixasse imobilizá-lo, para treinar a habilidade. De acordo com a polícia, a vítima concordou e ela o amarrou com cardaços. 

Em seguida, segundo contou às autoridades, ela sufocou o marido com uma camiseta de criança até ele desmaiar. Foi então que a suspeita chamou a vizinha, que já sabia de toda ação, e ambas perceberam que o servidor ainda estava vivo. Com isso, decidiram simular um engasgamento com pedaço de pão.

A vizinha ligou para o Corpo de Bombeiros, pedindo socorro para um homem que havia se engasgado. Os bombeiros tentaram reanimá-lo por um tempo, mas a vítima não resistiu. Ao confessar o crime, a mulher ainda afirmou que não sofria abusos ou violência física por parte marido

Publicidade
Prefeitura de Itajubá publicou nota de pesar pela morte do servidor público
Foto: Reprodução/Facebook/Prefeitura de Itajubá

Nota de pesar

A Prefeitura de Itajubá publicou um nota de pesar pela morte do servidor público, que já trabalhava para o município há 23 anos. Leia abaixo na íntegra:

"A Prefeitura de Itajubá, por meio do Prefeito Christian Gonçalves e do Vice-Prefeito e Secretário Municipal de Saúde, Dr. Nilo Baracho, envia os cumprimentos de pesar aos familiares do servidor Sérgio Carvalho Silva, falecido neste sábado, 25 de junho, aos 51 anos.

Sérgio cumpriu honrosamente suas atribuições na Prefeitura por 23 anos. Trabalhou nas Secretarias Municipais de Desenvolvimento Social, Governo, Obras e Saúde.

Neste momento de tristeza e dor, pedimos a Deus que conforte todos os familiares e amigos."

Publicidade
Fonte: Redação Terra
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações