Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Marido diz à Polícia que é dono da arma que causou a morte de juíza no Pará

Juiz João Augusto afirmou que suspeita que a mulher tenha se suicidado após uma briga de casal

17 mai 2022 20h05
| atualizado às 20h49
Compartilhar
Juíza Mônica Andrade foi encontrada morta dentro de seu carro
Juíza Mônica Andrade foi encontrada morta dentro de seu carro
Foto: Acervo Pessoal

O juiz João Augusto Figueiredo de Oliveira Júnior, marido da juíza Mônica Maria Andrade Figueiredo de Oliveira, prestou depoimento à Polícia Civil do Pará e afirmou que é dono da arma usada na morte da esposa.

O marido encontrou o corpo da juíza, nesta terça-feira, 17, com um ferimento causado por arma de fogo dentro do carro no estacionamento do prédio onde moravam. Ele mesmo levou o corpo da mulher para uma delegacia.

Publicidade

Segundo informações divulgadas no 'Jornal Hoje', da TV Globo, o juiz disse em depoimento que "teve uma pequena discussão" com a esposa por volta das 22h de segunda-feira, 16. Na sequência, Mônica teria arrumado as coisas e descido do apartamento avisando que iria viajar. O motivo da briga não foi revelado. 

João Augusto disse ainda que durante esta manhã procurou pela chave do carro e não encontrou. Pegou a chave reserva e, ao chegar à garagem do prédio, viu o veículo estacionado com a porta aberta. No boletim de ocorrência, ele relata que a esposa cometeu suicídio com a arma de fogo que ele mantinha dentro do carro.

O juiz foi liberado após prestar depoimento e o caso segue em sigilo. Em nota enviada ao Terra, a Polícia Civil “informa que o caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios e que está adotando todas as medidas cabíveis para a elucidação do ocorrido”. Informam também que o caso já foi encaminhado à justiça.

Natural de Barra de Santana (PB), Mônica Andrade era juíza na cidade de Martins, no Rio Grande do Norte. Ela era casada com João Augusto desde julho de 2021.

Publicidade

Atenção! Em caso de pensamentos suicidas, procure ajuda especializada como o CVV (Centro de Valorização da Vida), que funciona 24 horas por dia (inclusive aos feriados) pelo telefone 188, por e-mail, chat ou pessoalmente. Confira um posto de atendimento mais próximo de você (clique aqui).

Fonte: Redação Terra
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações