Patrocínio

Ex-BBB Matteus Amaral diz que inscrição na qual se declarou preto/pardo foi feita 'por terceiro'

Influenciador comentou sobre o caso após instituição de ensino confirmar matrícula pelo sistema de cotas raciais

14 jun 2024 - 18h29
(atualizado em 15/6/2024 às 12h54)
Faculdade abrirá processo investigativo sobre ingresso por cota do ex-BBB Matteus Amaral
Video Player

O ex-BBB Matteus Amaral comentou sobre a sua autodeclaração como 'preto/pardo', para ingressar no curso de Engenharia Agrícola no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha (IFFAr), em 2014. Ele afirmou que "a inscrição foi realizada por um terceiro, que cometeu um erro ao selecionar a modalidade de cotas raciais sem meu consentimento ou conhecimento prévio". 

No fim da tarde desta sexta-feira, 14, o ex-BBB compartilhou nota oficial sobre o caso nas redes sociais. Além de alegar que não foi o responsável pela inscrição, Matteus também 'pediu desculpas' e lamentou "qualquer impressão de que teria buscado beneficiar-me indevidamente dessa política, o que nunca foi minha intenção". 

Publicidade

"Reafirmo meu arrependimento por quaisquer transtornos e meu compromisso contínuo em ser um defensor ativo da igualdade racial e social. Agradeço a oportunidade de esclarecer este assunto e peço desculpas por qualquer mal-entendido que possa ter ocorrido", finalizou. 

Ex-BBB Matteus Amaral diz que inscrição na qual se declarou preto/pardo foi feita 'por terceiro'
Ex-BBB Matteus Amaral diz que inscrição na qual se declarou preto/pardo foi feita 'por terceiro'
Foto: Reprodução, Globoplay / Reprodução

Entenda o caso

O caso ganhou repercussão após viralizar nas redes sociais, na noite de quinta-feira, 13, uma publicação com a imagem da matrícula de Matteus Amaral, vice-campeão do BBB24, com a autodeclaração 'preto' para ingressar no curso de Engenharia Agrícola do IFFar.

Nesta sexta-feira, a instituição confirmou o ingresso de Matteus pelo sistema de cotas raciais e ainda destacou que "naquele período [2014], de acordo com a Lei 12.711/2012, o único documento exigido para a inscrição de candidatos em vagas reservadas a pessoas negras (pretas, pardas) e indígenas era a autodeclaração. Assim como em outras instituições federais de ensino, não havia mecanismo de verificação ou comprovação da declaração do candidato". 

Na época, nenhuma denúncia foi feita contra Matteus. O IFFar também explicou que a política nacional de cotas foi sendo aperfeiçoada com o tempo, "principalmente em razão de denúncias de possíveis fraudes terem surgido em várias instituições, muitas delas recebendo ampla cobertura midiática". Desde 2022, a faculdade adotou mecanismos implantados de heteroidentificação nas seleções dos alunos.  

Publicidade
Foto: Reprodução/IFFar

Leia a nota de Matteus Amaral na íntegra:

Recentemente, surgiram informações de que, em 2014, fui inscrito no curso de Engenharia Agrícola no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha sob a modalidade de cotas para pessoas negras. 

Esta nota tem como objetivo esclarecer as circunstâncias dessa inscrição e expressar a minha posição a respeito. 

A inscrição foi realizada por um terceiro, que cometeu um erro ao selecionar a modalidade de cotas racial sem meu consentimento ou conhecimento prévio. Entendo a importância fundamental das políticas de cotas no Brasil.

Por isso, lamento profundamente qualquer impressão de que teria buscado beneficiar-me indevidamente dessa política, o que nunca foi minha intenção.

Reafirmo meu arrependimento por quaisquer transtornos causados e meu compromisso contínuo em ser um defensor ativo da igualdade racial e social. Agradeço a oportunidade de esclarecer este assunto e peço desculpas por qualquer mal-entendido que possa ter ocorrido.

Publicidade
Fonte: Redação Terra
Curtiu? Fique por dentro das principais notícias através do nosso ZAP
Inscreva-se