Mulher é presa por ameaçar atear fogo no próprio filho

A ação consistiu em enviar um vídeo para o pai da criança, no qual simulava jogar gasolina no filho de nove anos do casal, ameaçando incendiá-lo

22 jun 2024 - 16h21

Uma mulher foi presa em Osório, no Litoral Norte do Rio Grande do Sul, acusada de submeter seu ex-companheiro a tortura psicológica. A ação consistiu em enviar um vídeo no qual simulava jogar gasolina no filho de nove anos do casal, ameaçando incendiá-lo.

Foto: Porto Alegre 24 horas

A detenção ocorreu na quinta-feira (20) pela Brigada Militar, após denúncia via telefone. No dia seguinte, a Justiça acatou o pedido da Polícia Civil e decretou a prisão preventiva da mulher. Um inquérito foi instaurado para investigar o caso.

Publicidade

O pai da criança, ao receber o vídeo, procurou a polícia. Durante a ligação, a mulher mencionou que buscaria o outro filho do casal, um adolescente de 14 anos, o que auxiliou na sua localização.

"Equipes policiais localizaram a mulher e a prenderam", informou a Brigada Militar. Na abordagem, foi encontrado um líquido com aparência de gasolina, que posteriormente foi identificado como água com corante, não inflamável.

O delegado responsável pelo caso, João Henrique Gomes, estima que a investigação seja concluída em até 10 dias. Nesse período, serão realizadas diligências adicionais e aguardados os resultados de perícias. A mulher, cujo nome não foi divulgado, permanece presa, enquanto os filhos estão sob a guarda do Conselho Tutelar.

"As diligências e perícias auxiliarão na conclusão do inquérito e envio à Justiça", disse Gomes.

Publicidade

A prisão preventiva da mulher visa garantir a segurança das crianças e a lisura das investigações. O caso reforça a importância da atenção e resposta imediata a denúncias de violência psicológica e ameaças, principalmente quando envolvem menores.

Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações