Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Funcionários da Activision protestam contra demissões em estúdio de CoD

A Raven Software, responsável por CoD: Warzone, está dispensando funcionários do setor de Garantia da Qualidade sem motivos aparentes, segundo a Aliança de Trabalhadores da Activision Blizzard

6 dez 2021 19h48
Compartilhar

A desenvolvedora de Call of Duty: Warzone — Raven Software — tem demitido dezenas de funcionários desde a semana passada, sem motivos aparentes. Essa onda de demissões repentina deixou muitos funcionários de toda a Activision Blizzard revoltados com a situação, a ponto de planejarem um protesto na frente da empresa para tentar garantir os direitos trabalhistas das pessoas mandadas embora.

Sede da Activision em Santa Monica, na Califórnia
Foto: Divulgação/Activision Blizzard / Tecnoblog

Todos os funcionários dispensados pela Raven Software atuavam no setor de QA — Quality Assurance, ou Garantia da Qualidade, em português — da desenvolvedora. Esses profissionais eram responsáveis por testar as atualizações e procurar possíveis bugs nos conteúdos de CoD: Warzone antes do lançamento para o público final.

Publicidade

Para não deixar os colegas desamparados, funcionários da Activison Blizzard se uniram para protestar pelos direitos trabalhistas das pessoas demitidas. Ao Kotaku, o grupo de manifestantes garantiu que a ideia das passeatas não era prejudicar o estúdio, mas sim proteger os profissionais que não esperavam ficar sem renda.

"Aqueles que participam dessa ação estão agindo e pensando no sucesso contínuo do estúdio em primeiro lugar. O departamento de Garantia da Qualidade da Raven é essencial para o funcionamento diário da produtora como um todo. Rescindir os contratos de testadores de alto desempenho em um momento de trabalho consistente e lucrativo coloca a saúde da desenvolvedora em risco".

Funcionários da Activision Blizzard Workers Alliance.

De acordo com informações da Activision Blizzard Workers Alliance, as demissões dos funcionários aconteceram sem sem aviso prévio, após "cinco semanas fazendo hora extra, precedidas de um ano inteiro de crunch". Crunch é um termo popular na indústria da tecnologia para se referir a períodos longos de trabalho que ultrapassam as tradicionais 40 horas semanais.

Além disso, o grupo disse que todos os testadores tinham boa relação com a empresa e estavam esperando certas "mudanças positivas no departamento", prometidas pela Raven Software em março deste ano. Os funcionários demitidos ainda trabalhavam diretamente com CoD: Warzone, uma das maiores fontes de lucro para a Activision Blizzard.

Funcionários demitidos tinham contratos temporários

Ao ser procurada pelo Kotaku, a Activision Blizzard explicou que os funcionários demitidos tinham contratos temporários e que a empresa continua "crescendo e investindo em recursos operacionais e de desenvolvimento". A companhia ainda apontou que, por mais que estivesse dispensando algumas pessoas, também estava efetivando outros profissionais.

Publicidade

"Estamos convertendo cerca de 500 funcionários temporários em funcionários de tempo integral nos próximos meses. Infelizmente, como parte dessa mudança, também notificamos 20 trabalhadores temporários dos estúdios de que seus contratos não seriam estendidos".

Activision Blizzard.

No decorrer das próximas semanas, os funcionários serão chamados para reuniões individuais para saberem se serão dispensados ou se terão o contrato estendido, com aumento de salário. Por enquanto, cerca de 30% do time de testadores da Raven Software foram dispensados. O restante da equipe ainda aguarda a decisão da empresa.

Com informações: Kotaku.

Funcionários da Activision protestam contra demissões em estúdio de CoD

Fique por dentro das principais notícias de Games
Ativar notificações