Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

De olho em Paris-2024, Brasil terá primeiro CT de breakdance no Capão Redondo; confira vídeo

Governo do Estado de SP lançou o 'Breaking no Capão', projeto que visa estimular a prática do novo esporte olímpico no País e formar equipe de alta performance para a próxima Olimpíada

14 out 2021 17h05
| atualizado às 19h25
Compartilhar

Em breve, o Brasil terá o seu primeiro centro de treinamento de break dance. O Vice-Governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia, assinou nesta quinta um contrato que vai ceder o espaço para a criação de um Centro de Treinamento e Convivência no Capão Redondo, zona sul da capital. O objetivo do projeto 'Breaking no Capão' é formar uma equipe de alta performance que vai participar da estreia da modalidade nos Jogos Olímpicos de Paris, em 2024.

A previsão é de que as obras do equipamento, localizado a 500 metros da estação Capão Redondo, na Linha 5-Lilás do metrô, fiquem prontas em até seis meses. Futuros representantes olímpicos do Brasil no break dance poderão aproveitar de um espaço de aproximadamente 3,1 mil m², que servirá para estimular a prática do esporte no País.

Publicidade
Visando as Olímpiadas de Paris-2024, Governo do Estado de SP lançou nesta quinta o projeto 'Breaking no Capão'.
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo / Estadão

"Vamos transformar essa área em um local de treinamento, em um espaço de esporte, cultura, e lazer para a comunidade aqui da Zona Sul da capital. Esse espaço vai ser fundamental para estimular o esporte, para que a gente possa ter mais adeptos do breaking aqui no Brasil", disse Garcia.

A estrutura do centro será composta por contêineres e seguirá conceitos de sustentabilidade. Os atletas do break dance, chamados de b-boys e b-girls, contarão com uma academia esportiva, espaço multiuso para treinarem e se apresentarem, além de alojamento e banheiros.

De olho em Paris-2024, Brasil terá primeiro CT de breakdance no Capão Redondo.
Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo / Estadão

Kethelyn Cristine Santos de Jesus, de 12 anos, vê o Centro de Treinamento e Convivência como um sinal de que o break dance pode ser um caminho para sua vida. "Eu comecei a dançar com 8 anos, sem entender nada, e agora eu vejo como o breaking cresceu. Eu quero continuar como atleta do breaking, por isso esse centro é tão importante, diz Keké, como é conhecida. A menina se apresentou no evento desta quinta junto com Jheferson Ray Tavares Oliveira, o Jef Ray, de 13 anos, que já tem título internacional, além de outros atletas.

A Federação de Breaking do Estado de São Paulo (FBSP) será a encarregada de desenvolver o esporte olímpico aqui no Brasil, de olho na Olimpíada de 2024. O primeiro torneio eliminatório será o Campeonato Brasileiro.

Publicidade

MM_AG_PT_ASSET_1202886

O secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, destacou a iniciativa do governo paulista em relação ao break dance, ação que colabora com a tentativa do Comitê Olímpico Internacional (COI) de rejuvenescer os Jogos.

"Ao trazer o breaking para os jogos olímpicos, o Comitê Olímpico Internacional mostrou sua disposição de manter atualizada sua comunicação com os jovens. Ao trazer esse projeto para a região do Capão Redondo, o Governo de São Paulo, juntamente com a ViaMobilidade, mostra sua disposição de criar condições para que nossos talentosos atletas sejam competitivos", afirmou Baldy.

Além do desenvolvimento de atletas, o projeto tem como objetivo abrir o espaço para os moradores do Capão Redondo, oferecendo várias atividades culturais. O Instituto Cultural Vitor Orsolon, especializado em hip hop, movimento no qual o break dance faz parte, planeja oferecer cursos de grafitti, fotografia e história do hip hop para quem frequentar o centro de treinamento.

Publicidade
Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações