Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Vasco e Grêmio jogam entram em campo de olho no G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro

Time carioca vai a Manaus enfrentar o Guarani, que se encontra na zona do rebaixamento; com pouco tempo de recuperação, tricolor gaúcho recebe o Criciúma

19 mai 2022 11h36
| atualizado às 11h58
Compartilhar

Grêmio e Vasco entram em campo nesta quinta-feira com objetivos semelhantes na Série B: o G-4. Atualmente na quarta posição, com 13 pontos, o cruz-maltino busca se manter na zona de acesso e vai até a Arena da Amazônia, como visitante, enfrentar o Guarani, às 21h30 (horário de Brasília). Fora do grupo de acesso, dois pontos atrás do Vasco e sem vencer há dois jogos, o Grêmio joga em casa, às 19h, de olho na reabilitação contra o Criciúma, que também quer entrar de vez na briga pelo G-4.

O Vasco vem de importante vitória, por 1 a 0, contra o até então líder Bahia, e terminou a rodada entre os quatro primeiros, após tropeço do Grêmio contra o Ituano. O time carioca é o único invicto na Série B, somando três vitórias e quatro empates. Com sete pontos, o Guarani iniciou a rodada dentro do Z-4, em 17º lugar. Apesar disso, está há quatro jogos invicto, mas vem de três empates seguidos.

Publicidade

A partida acontece em Manaus porque o gramado do estádio do Guarani, o Brinco de Ouro, em Campinas, passa por reforma. A venda do mando de campo, porém, chegou a ser suspensa pela CBF, que reconsiderou após pedido do próprio Guarani. Dois clubes protestaram formalmente junto à entidade, Bahia e Sport, mas não obtiveram êxito.

Mesmo com a pressão amenizada, o técnico Zé Ricardo e o elenco do Vasco sabem que não podem relaxar. Afinal, o time ainda não encantou os olhos de seu torcedor, que não pode reclamar de raça e entrega total, principalmente no último jogo. Para o duelo, dois nomes são desfalques certos: o volante Yuri Lara e o meia Nenê, que são titulares, mas estão suspensos pelo terceiro cartão amarelo.

Zé Ricardo destacou que o time não se acomodou e que busca melhora ofensiva. "Estamos em um processo de evolução e esperamos muito poder evoluir nas próximas partidas e entregar aquilo que o torcedor e nós também queremos. Que é uma partida um pouco mais consistente no setor ofensivo também. A gente sabe que tem muita coisa ainda para evoluir", admitiu.

No meio-campo, a tendência é escalar Juninho como titular, que entrou no decorrer da vitória contra o Bahia. No meio, porém, há mais opções. O chileno Palacios pode ganhar chance, mas Zé Ricardo também testou Bruno Nazário nos últimos treinamentos. Gabriel Dias, que estava com dores no joelho, também treinou normalmente e está confirmado.

Publicidade

O Guarani segue em processo de mudança com a saída do técnico Daniel Paulista. O clube anunciou, nesta manhã de quarta-feira, Marcelo Chamusca como substituto, que estará na Arena da Amazônia, mas não à beira do gramado, pois ainda não foi regularizado. Assim, o interino Ben-Hur segue no comando do time pela terceira vez.

GRÊMIO

O Grêmio desperdiçou a oportunidade chegar ao G-4 ao empatar em 1 a 1 com o Ituano, no interior paulista. Com isso, a equipe do técnico Roger Machado teve pouco tempo de preparação para o duelo com o Criciúma, que vem de vitória sobre o lanterna CRB por 3 a 0. Não será uma missão fácil, já que o adversário também quer entrar de vez na briga pelas primeiras colocações e vem embalado após quebrar a sequência de cinco jogos sem vitória. As equipes se enfrentam na Arena do Grêmio, a partir das 19h (horário de Brasília).

Focado na reabilitação do elenco, Roger Machado deve fazer duas mudanças no time titular. A primeira por motivos médicos e a segunda por opção técnica. Sem poder conta com os laterais de origem, Edílson e Rodrigo Ferreira, ambos lesionados, o zagueiro Rodrigues voltará a atuar improvisado no setor, assim como aconteceu durante o Campeonato Gaúcho. Já no ataque, com a proposta de dar mais qualidade ao setor ofensivo, Elkeson deve ganhar a chance no lugar que vinha sendo de Elias e irá fazer dupla ofensiva com Diego Souza.

"Eu preciso de alguém que leve a bola para perto do gol. O Elkeson é mais móvel e busca a profundidade. É possível. Eu gostei do que eu vi no segundo tempo contra o Ituano, ganhei peso na área. Ganhei busca de profundidade pelo meio", explicou o comandante sobe a provável mudança.

Publicidade
Fique por dentro das principais notícias de Futebol
Ativar notificações