Tire a ideia do papel e crie hoje o site para o seu negócio com até 35% de desconto

Globo perde exclusividade da Copa em plataformas digitais

A Fifa já procurou grandes mídias que atuam no Brasil, como Facebook, TikTok e Youtube para que seja feita uma proposta para a obtenção dos direitos de internet do torneio

18 out 2021 13h50
| atualizado às 17h24
Compartilhar

A Globo abriu mão da exclusividade dos direitos de transmissão pela internet de jogos da Copa do Mundo do Qatar, que será realizada em 2022. A emissora passa por um processo judicial com a Fifa para reduzir o valor de parcelas de seu acordo de TV. A informação foi publicada pela Folha de S.Paulo.

Acordo da Globo com a Fifa acaba após o mundial do Qatar (Foto: ARSEN GALSTYAN / AFP)
Foto: Lance!

Vale alientar que a Globo segue com exclusividade de transmissão na TV aberta e nos canais SporTV, porém terá concorrência se quiser mostrar os jogos através de seu site ou da plataforma de streaming Globoplay.

Publicidade

A Folha complementou informando que a Fifa já procurou grandes mídias que atuam no Brasil, como o Facebook, o TikTok e o Youtube para que seja feita uma proposta para a obtenção dos direitos de internet do torneio. As empresas estariam estudando a viabilidade do negócio.

O pacote para internet, avaliado em US$ 8 milhões (R$ 43 milhões no câmbio atual), permite publicidade em estádios durante os 64 jogos da Copa, além da realização de ações digitais. As negociações estão sendo intermediadas pela LiveMode, empresa dos ex-donos do Esporte Interativo que foi responsável por levar o Campeonato Paulista para a Record.

A emissora perdeu recentemente alguns dos direitos de transmissões que faziam parte de seu portfólio, como o Cariocão e o Paulistão, a Libertadores da América e a Fórmula 1. As não renovações ou perda de disputas com outros grupos de mídias do Brasil aconteceram também após a pandemia da covid-19.

Globo x Fifa na justiça

Publicidade

Em junho de 2020, a Globo entrou com um pedido na 6ª Vara Empresarial de Justiça do Rio de Janeiro, que determinou a suspensão do pagamento do contrato de US$ 90 milhões (R$ 490 milhões)até o julgamento feito na Suíça, onde o acordo foi assinado. À época, a emissora alegou que foi prejudicada pela pandemia da covid-19.

O valor era referente a uma parcela anual para o contrato válido de 2015 a 2022, que incluia as Copas de 2018 e 2022, os Mundiais femininos e os das categorias sub-17 e sub-20. Como forma de compensação, a emissora concordou em transmitir todos os jogos do Brasil, em TV aberta, das Copas do Mundo de futsal e futebol de areia.

Está gostando da notícia? Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações