Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

ANÁLISE: Com a 'corda estourada', Corinthians volta a sofrer pela falta de opções

Timão sentiu na pele os desfalques e fez partida irreconhecível contra o Fluminense

3 jul 2022 - 06h39
(atualizado às 06h39)
Compartilhar

Mais uma vez, Vítor Pereira teve problemas na escalação do Corinthians pois o departamento do clube alvinegro segue lotado. Na goleada por 4 a 0 contra o Fluminense, pelo Brasileirão, o português teve 10 jogadores indisponíveis por lesão, e se viu obrigado a escalar uma equipe desentrosada, mesclando atletas que receberam poucas chances na temporada junto de garotos da base sem rodagem.

VP teve quase um time completo de desfalques contra o Flu (Foto: Rodrigo Coca / Ag. Corinthians)
VP teve quase um time completo de desfalques contra o Flu (Foto: Rodrigo Coca / Ag. Corinthians)
Foto: Lance!

Durante sua coletiva, o treinador corintiano voltou a mostrar sua insatisfação com o calendário brasileiro, dizendo que o clube esticou a corda na maratona de jogos e agora está com poucas soluções.

Publicidade

O argumento do lusitano é válido e a torcida corintiana comprou o discurso, mas em nenhuma circunstância o Timão pode tomar três os mais gols, como bem disse Tite em 2011 após um revés diante do Avaí.

O primeiro erro do Corinthians partiu da escalação de Vítor Pereira. O português optou por mudar o esquema que vinha utilizando e voltou a jogar com três zagueiros em uma linha de cinco.

A opção se mostrou razoável para determinadas situações de jogo, mas o Timão tende a cair de rendimento jogando dessa forma, e mais uma vez isso ocorreu.

O sistema defensivo, como desenhado, foi presa fácil para o jogo associativo de Diniz. O Tricolor das Laranjeiras trocava passes rápidos no meio-campo, abrindo espaço entre os defensores corintianos.

Publicidade

Apesar da facilidade na qual a equipe da casa trocava passes, o Fluminense construiu sua vantagem no jogo aéreo, ponto fraco do Corinthians sob o comando de Vítor Pereira.

Com um zaga sem ritmo e desentrosada, bastou o mínimo de organização no posicionamento para o Fluminense abrir 2 a 0 em duas jogadas similares, na qual Bruno Méndez e Robert Renan marcaram a bola ao invés do cabeceador.

Ao Timão, a única coisa que funcionou no primeiro tempo foram as ações pelo lado esquerdo com Piton e Giovane, além do brilho individual de Biro.

Buscando uma mudança de ritmo, Vítor foi colocando seus 'titulares' em campo, com o intuito de retomar o controle da bola e pressionar no campo do adversário. Houve uma pequena melhora nos primeiros 15 minutos da etapa final, mas a equipe seguia com problemas de criação.

Publicidade

Quanto mais o clube alvinegro se esforçava para atacar, mais cedia campo para o Fluminense contra-atacar. Na primeira tentativa com sucesso do time de Diniz sair da pressão em sua campo, pegou a defesa corintiana desorganizada e chegou ao terceiro gol.

O segundo gol de Cano no Maracanã acabou com o ânimo e qualquer esperança do clube paulista na partida. O sofrimento ficou maior nos minutos finais, quando Fred fez o estádio explodir em êxtase.

A derrota, dadas as circunstâncias, era previsível, porém a maneira como o time perdeu é injustificável. Assim como foi no revés por 3 a 0 para o Palmeiras no Brasileirão, quando Vítor Pereira se viu com poucas opções e teve que recorrer ao banco, sua equipe não correspondeu.

Contudo, tudo será perdoado e esquecido se o Corinthians sair de La Bombonera na terça-feira (5) classificado às quartas de final da Libertadores.

Publicidade
Show Player
Fique por dentro das principais notícias de Futebol
Ativar notificações