Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Zé Roberto indica técnico brasileiro após saída de Tite e diz que gostaria de ver Guardiola na Seleção

Em entrevista ao LANCE!, ex-jogador comenta sobre chances da Seleção Brasileira na Copa do Mundo, aponta favoritismo, mas coloca França, Espanha e Argentina entre candidatas

23 jun 2022 - 07h25
Compartilhar
Zé Roberto foi um dos principais nomes da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2006 (Foto: VALERY HACHE / AFP)
Zé Roberto foi um dos principais nomes da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2006 (Foto: VALERY HACHE / AFP)
Foto: Lance!

A poucos meses para o início da Copa do Mundo, a Seleção Brasileira já começa a viver, nos bastidores, a expectativa de quem será o substituto do técnico Tite. O treinador afirmou que deixará a Amarelinha ao final do Mundial do Qatar, e o novo nome segue indefinido. Em entrevista ao LANCE!, o ex-jogador Zé Roberto comentou o assunto e projetou os principais candidatos.

Segundo o ex-atleta, o nome de Cuca, que está sem clube após deixar o Atlético-MG, é o principal postulante entre os brasileiros. Zé Roberto, contudo, pontuou que o país não tem grandes opções atualmente e citou qual estrangeiro seria o seu preferido.

Publicidade

- Eu acho o trabalho do Tite muito bom, excelente. Por isso que ele conseguiu se manter tanto tempo no cargo de uma seleção que é muito cobrada. Não consigo ter muita clareza de nomes brasileiros para assumir a Seleção após a Copa do Mundo - disse Zé Roberto, que completou:

- Um nome, pelos últimos trabalhos que teve, é o do Cuca. É um treinador que terminou um bom trabalho recentemente. Foram poucos treinadores que conquistaram a Tríplice Coroa, então a última imagem é a que fica. Se for pegar a última impressão de um treinador vencedor, por merecimento, com certeza o Cuca seria o principal nome - emendou o ex-jogador, citando quem seria seu sonho:

- Se eu fosse presidente da CBF, eu gostaria de trazer o Pep Guardiola - finalizou.

Zé Roberto concedeu entrevista ao L! no Ninho do Urubu, centro de treinamentos do Flamengo, quando estava à frente do Bayern World Squad ( e conheça o projeto). O ex-jogador do time alemão, que disputou a Copa do Mundo de 2006 e foi o único brasileiro eleito para a seleção do Mundial, projetou a participação do Brasil para o torneio deste ano, no Qatar, e citou um favoritismo.

Publicidade

- A minha expectativa é bem positiva por tudo o que eu vi durante as Eliminatórias, pelo momento que vive a Seleção Brasileira, é um time forte... Eu acho que a Seleção Brasileira tem uma possibilidade grande de vencer este Mundial porque eu não vejo nenhuma seleção tão distante, que esteja jogando um futebol diferente das que são candidatas ao título - declarou.

- Acho que o Tite tem um time-base e um grupo basicamente já formado e que a Seleção vai para a Copa do Mundo bem confiante. Vejo o Neymar como o ponto de desequilíbrio, com uma mentalidade um pouco diferente de alguns anos atrás, que é a grande referência… No meu ponto de visto, ele vai fazer a diferença pela maturidade que tem, a idade que atingiu e as experiências que passou na carreira. Tem ainda o Vini Jr., o Rodrygo, Antony, que são jovens e vivem bons momentos nos seus clubes, estão mostrando para o Tite que estão preparados para buscar um lugar ali.

Zé Roberto falou ao L! sobre Seleção Brasileira (Foto: João Marcos Santana / LANCE!)
Foto: Lance!

Apesar de apontar a Seleção Brasileira como uma das favoritas, Zé Roberto classificou outros três países como possíveis candidatos ao troféu mais cobiçado do mundo: França, Espanha e Argentina.

Publicidade

- A França é uma seleção muito boa, conseguiu manter a base, renovou, tem um jogador que está vivendo sua melhor fase, que é o Benzema, que vai brigar para ser o melhor do mundo. Tem ainda o Mbappé voando, uma zaga muito segura, um meio-campo… E acho que a Espanha também tem uma boa seleção e a Argentina, né. Teve um grande resultado contra a Itália (na Finalíssima) e mostra que vem forte para a Copa. Além disso, tem um jogador que faz a diferença, que é o Messi, que fará sua última Copa do Mundo e vai fazer de tudo para tentar ganhar. Apesar da idade, continua em alto nível. É um jogador que se cuida, que não tem histórico de lesão, e faz a diferença tanto no clube como na seleção. Essas quatro são as minhas favoritas para vencer o Mundial.

Recentemente, na última Data-Fifa, Tite afirmou que ainda não está com o grupo fechado para a Copa do Mundo e citou que segue observando atletas. Um dos que têm maior apelo por uma convocação, mas que ainda não recebeu chances, é Raphael Veiga, do Palmeiras.

Para Zé Roberto, o camisa 23 do Verdão vive o melhor momento de sua carreira, mas hoje concorre em um setor praticamente fechado, com Lucas Paquetá e Philippe Coutinho. O ex-jogador, que também é ídolo do Palmeiras, disse que é triste não ver Veiga com a Amarelinha e lembrou o que o mesmo aconteceu em 2002.

- O Raphael Veiga vive a melhor fase da carreira. Há uns dois anos, desde que se firmou no time, não saiu mais. E a cada ano que passa ele melhora mais. E o que o favorece muito é que ele tem trabalhado com um treinador que o ajuda a crescer em vários aspectos. Mas ele vive seu melhor momento num período em que a Seleção está com o grupo praticamente fechado - frisou.

Publicidade

- Eu diria que ele tem grandes chances de ir para a Copa se algum atleta se machucar e não puder ir para a Copa do Mundo. Fora isso, eu acho difícil porque o Tite sempre mostrou que quando tem seu grupo fechado ele morre com o grupo fechado. Acho triste ver um jogador que vive sua melhor fase não ser convocado e falo com experiência na minha carreira. Em 2002 acabei ficando fora da Copa do Mundo, quando estava no Bayer Leverkusen, na minha melhor fase na Europa, por conta de um jogo - terminou.

* Estagiário, sob a supervisão de Aigor Ojêda.

Fique por dentro das principais notícias de Futebol
Ativar notificações