Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Com equipe jovem, Botafogo encontra dificuldades na estreia da temporada

O técnico Enderson Moreira não tem muitas opções no atual elenco do Alvinegro e teve que aproveitar os jogadores da base na primeira partida do Carioca

26 jan 2022 05h24
| atualizado às 05h24
Compartilhar

O Botafogo não teve sucesso na estreia do Carioca. A equipe ficou apenas no empate com o Boavista pela primeira rodada da Taça Guanabara. Ainda em transição da compra da SAF por John Textor, o Alvinegro conta com um elenco recheado de garotos da base para este início de temporada.

Botafogo tem elenco jovem para o início da temporada (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Botafogo tem elenco jovem para o início da temporada (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

Publicidade

Os garotos Juninho e Matheus Nascimento foram os titulares escolhidos por Enderson para darem ofensividade à equipe. O meia de 20 anos fez sua primeira partida como profissional, mas não conseguiu assumir bem a responsabilidade de criação da posição. Enquanto o centroavante de 17 anos demorou para aparecer no jogo, deu duas finalizações no gol e não empolgou.

Com um elenco formado por muitos atletas da base, Enderson Moreira encontrou dificuldades para modificar a tática da equipe. Contra o Boavista, o treinador tinha no banco de reservas quatro jogadores que acabaram de subir para o profissional: o lateral-direito Vitor Marinho, os meias Rikelmi e Raí e o atacante Gabriel Conceição.

Sem muitas opções de ataque no banco, Enderson deu oportunidades para dois jovens na partida: Rikelmi e Gabriel Conceição entraram na etapa final. Nenhum dos dois conseguiu se destacar em campo. Mesmo com a entrada de Daniel Borges, Ronald e Felipe Ferreira, a equipe não conseguiu desenvolver um ímpeto ofensivo para virar o resultado.

Publicidade

A entrada de Rikelmi no lugar de Juninho foi a única alteração no meio de campo da equipe. Os meias Romildo e Fabinho seguiram dentro de campo no setor de criação. Após a partida, Enderson Moreira explicou as substituições feitas na partida e reforçou a dificuldade de comandar um time com muitos garotos.

- Acho que tentei fazer as modificações sem deixar o time vulnerável, mas tentei dar estabilidade e ofensividade com outras peças. No elenco, hoje, trocaríamos um volante por outro, ou um meia-atacante por um volante. Eu achei que era muito perigoso (substituir Romildo) porque estávamos com muito meninos no banco. Então não temos somente a questão do encaixe, mas também de como o menino vai entrar e fazer essa função - explicou o treinador.

O Botafogo vive um momento de transição para a SAF comprada por John Textor, em que o clube receberá um empréstimo-ponte de R$ 50 milhões para 'arrumar a casa' e realizar alguns investimentos no futebol. Sendo assim, o elenco comandado por Enderson Moreira ainda não está completo, visto que o Alvinegro tem alvos no mercado para reforçar o time na temporada.

Com o investimento, o clube analisa o mercado e tem alguns jogadores na mira para reforçar o elenco na temporada. São eles: o atacante Elkeson, os meias Rafael Carioca e Óscar Romero e o lateral-esquerdo Marcelo Saracchi.

Publicidade
Show Player
Fique por dentro das principais notícias de Futebol
Ativar notificações