Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Rossi relembra teste na Ferrari e diz que mãe incentivou eventual carreira na Fórmula 1

Valentino Rossi fez dois testes na Fórmula 1 em 2006 e esteve próximo de fechar com uma equipe do grid, mas optou pela MotoGP, mesmo com forte pressão familiar

22 jan 2022 13h38
Compartilhar
Valentino Rossi teve chance na F1, mas optou pela MotoGP
Valentino Rossi teve chance na F1, mas optou pela MotoGP
Foto: Divulgação/MotoGP / Grande Prêmio

BOTTAS POUCO REBELDE MOSTRA FALTA DE AMBIÇÃO NA F1

No final de 2021, Valentino Rossi deixou o Mundial de Motovelocidade depois de 25 anos. O veterano italiano, dono de vários títulos no certame, esteve próximo de abandonar a MotoGP muito antes do esperado. Em 2006, um despretensioso teste com a Ferrari quase virou uma grande mudança na carreira.

Publicidade

No fim de 2006, Rossi participou de um teste com a Ferrari em Valência. Na época, a equipe vivia momentos de indefinição com a saída de Michael Schumacher e a chegada do jovem Kimi Räikkönen. Antes, porém, rolaram algumas voltas em Fiorano. A atividade seria privada e discreta, mas rapidamente foi descoberta e virou um grande evento.

"Foi um grande momento da minha vida. O Stefano Domenicali [ex-chefe da Ferrari] me ligou e perguntou se eu queria testar o carro em Fiorano. Eu disse que sim e organizamos. Cheguei em segredo no dia, mas não foi um grande segredo", disse o italiano ao jornalista Graham Bensinger.

Valentino Rossi deixou a MotoGP após 25 anos (Foto: Divulgação/MotoGP)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Publicidade

"Em 2006, fiz um teste com pilotos de verdade em Valência. Foi bom, fui rápido. Mas eu lembro que cheguei em casa e decidi ficar na MotoGP", seguiu.

Na entrevista, Valentino explicou os motivos que o fizeram seguir na MotoGP, onde ainda conquistaria mais dois títulos, e revelou que sofreu uma enorme pressão, inclusive da família.

"Para a F1, eu tinha um plano, mas não era direto com a Ferrari. Começaria em uma equipe pequena para ganhar experiência e depois, se fosse rápido, chegaria na Ferrari. Mas eu tinha muitas dúvidas, além de muita pressão interna. Todo mundo tenta me ajudar na decisão, dizendo que eu deveria ir para a F1. Até minha mãe, por exemplo. Decidi, com meu coração, que deveria ficar na MotoGP", concluiu.

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.

Publicidade
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações