Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Alonso dá "boas-vindas" a Hamilton na F1: "Pilota tão bem quanto antes e fica 1s atrás"

Piloto da Alpine disse que heptacampeão manteve ótimo desempenho, mas agora está limitado por carro da Mercedes em 2022. Alonso usou o exemplo de Hamilton para afirmar que "piloto é importante na F1, mas não crucial"

20 mai 2022 04h01
Compartilhar
Alonso afirmou que Hamilton manteve alto nível de pilotagem, mas carro não permite resultados melhores
Alonso afirmou que Hamilton manteve alto nível de pilotagem, mas carro não permite resultados melhores
Foto: Alpine / Grande Prêmio

FÓRMULA 1 2022: A PALAVRA DE ORDEM É ATUALIZAÇÃO: TUDO DO GP DA ESPANHA | WGP

Fernando Alonso se mostrou solidário à situação que Lewis Hamilton enfrenta na temporada de 2022 da Fórmula 1. Depois de anos de intenso domínio, o heptacampeão mundial não dispõe de um carro capaz de competir por vitórias e, consequentemente, título - a Mercedes ainda briga para solucionar os diversos problemas que o W13 enfrenta.

Publicidade

O bicampeão mundial expôs sua opinião e negou que Hamilton tenha enfrentado uma queda de performance, atribuindo maior responsabilidade ao bólido da Mercedes. O espanhol comparou suas últimas temporadas na F1 com o 2022 do britânico multicampeão. Alonso visa mudar a própria sorte no GP da Espanha de Fórmula 1 assim como o rival e, no caso do piloto da Alpine, busca enfim deixar o azar para trás no ano e somar pontos contundentes em sua corrida de casa.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Hamilton e Alonso foram companheiros de equipe na McLaren em 2007 (Foto: McLaren)

"Essa é a natureza do esporte. Algumas vezes, você tem o melhor carro. Outras vezes, não tem um carro tão bom. Ainda assim, precisa lutar e fazer algum progresso. Esse ano, podemos ver que o piloto é muito importante na F1, mas não é crucial", opinou Alonso à rede inglesa de TV BBC, usando Hamilton como exemplo. "Lewis está pilotando tão bem (em 2022) quanto nos últimos oito anos. Dominou o esporte e quebrou todos os recordes, conseguiu 103 pole-positions. E agora ele faz uma mega volta - como ele mesmo disse na Austrália ou em algum outro lugar - e fica um segundo atrás. Então, bem-vindo", disse o espanhol.

Publicidade

"Essa é a F1. Não vai ser um esporte justo em termos de números. Esse é um esporte coletivo acima de tudo e nós tendemos a esquecer isso, especialmente quando se há sucesso. Ficamos tão felizes pelo que conquistamos que, mesmo que tentemos compartilhar o sucesso com o time, as manchetes são do piloto", continuou. "Aconteceu comigo quando conquistei dois campeonatos. Estava derrotando Michael Schumacher, era um grande tópico de assunto. Mas meu carro era mais confiável naquela época e tinha uma ótima performance. Você não consegue exaltar o carro suficientemente, porque as manchetes sempre serão do piloto. E com Lewis é a mesma coisa. Ter mais de 100 pole-positions na F1 é algo inimaginável. Você precisa ter o melhor carro e o melhor pacote por muitos, muitos anos", completou o bicampeão mundial.

+ Alonso reduz chances de voltar à Indy 500 e culpa aeroscreen: "Está menos divertido"

+ Alonso compara a futebol e diz que vive 2022 de "time que joga bem e só empata"

+ Alonso revela papo com Alpine por renovação para 2023: "Seria errado ver F1 de casa"

Publicidade

De acordo com Alonso, os resultados obtidos por Hamilton na atual temporada da Fórmula 1 - sem uma queda de desempenho, portanto - mostram que o carro é ainda mais importante que o piloto na principal categoria de automobilismo do mundo.

"Nós estávamos dando voltas mágicas por vezes e ficando em 15º. Como você explica isso para as pessoas? É impossível. Ele (Hamilton) merece tudo que conquistou no passado, mas esse ano é um bom lembrete de que, em todos esses recordes e números, o que você tem em mãos no que diz respeito ao pacote do carro é uma grande parte", analisou.

Por fim, o piloto da Alpine deu uma resposta ambígua quando perguntado se esperava que George Russell fosse 'dar trabalho' a Hamilton logo no início de sua trajetória nas Flechas de Prata. Até aqui, o ex-Williams é o principal pontuador da equipe alemã na F1 2022.

"Sim e não. George tem sido muito rápido nos últimos anos e acho que todo mundo estava esperando que ele fosse um competidor duro para Lewis. Mas ainda acredito que Hamilton vai, eventualmente, terminar o campeonato à frente. Temos somente cinco corridas até aqui, mas eventualmente quando as coisas ficarem mais complicadas e situações difíceis, Lewis ainda vai ter mais experiência e, talvez, mais talento", detalhou, por fim, Alonso.

Publicidade

GRANDE PRÊMIO acompanha o GP da Espanha 'in loco' com Eric Calduch e, além disso, segue todas as atividades do fim de semana AO VIVO e EM TEMPO REAL.

FERRARI VIRA FISCAL DO TETO DE GASTOS + F1 2022 COM 22 CORRIDAS | TT GP #53

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Fique por dentro das principais notícias
Ativar notificações