Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Adriano se pronuncia após fotos apagadas com delegada presa

Ele revelou que, na verdade, foi sua assessora que apagou as fotos com Adriana Belém

11 mai 2022 23h18
| atualizado às 23h32
Compartilhar
Adriano ao lado de Adriana Belém (Foto: Reprodução/Redes sociais)
Adriano ao lado de Adriana Belém (Foto: Reprodução/Redes sociais)
Foto: Lance!

Através de um vídeo divulgado nas redes sociais, Adriano revelou que não foi ele quem apagou as fotos com a delegada Adriana Belém, presa na última terça-feira, 10. De acordo com o Imperador, sua assessora ficou preocupada com a situação, uma vez que o ex-jogador tem contratos para assinar, e deletou as fotos.

"Estou aqui para deixar bem claro que não fui eu que tirei as fotos da doutora Adriana no meu Instagram. A minha assessora ficou preocupada porque eu tenho que assinar alguns contratos. Ela ficou desesperada e acabou apagando algumas fotos minhas com a doutora no meu Instagram, pensando que isso poderia atrapalhar em alguns contratos que estou para assinar", disse Adriano.

Publicidade

Ele também relatou que nunca faria isso. "Estou aqui para dizer que nunca faria isso (apagar as fotos), independente do que está acontecendo com ela, até porque foi uma pessoa que me ajudou muito na minha carreira, na minha vida. Tenho que agradecê-la muita coisa, não pouca coisa", completou.

Entenda o caso

Após um mandado de busca e apreensão, segundo "O Globo", a polícia civil encontrou quase R$ 2 milhões em espécie dentro de uma mala e de sacolas de marcas de grife no apartamento da delegada, na Barra da Tijuca, área nobre do Rio de Janeiro. A busca fez parte da operação Calígula, contra uma rede de jogos de azar comandada, segundo o Ministério Público, pelo contraventor Rogério de Andrade e pelo PM reformado Ronnie Lessa.

Na tarde da última terça-feira, a 1ª Vara Especializada do Tribunal de Justiça do Rio (TJ-RJ) expediu o mandado de prisão. Segundo o juiz Bruno Monteiro Ruliere, a "ré apresenta um grau exacerbado de comprometimento com a organização criminosa e/ou com a prática de atividade corruptiva" e isso cria o receio de que "em liberdade, a ré destrua ou oculte provas ou crie embaraços aos atos de instrução criminal". A informação foi publicada pelo "G1".

Nesta quarta-feira, 11, a exoneração da delegada do cargo que ocupava na Secretaria Municipal de Esportes e Lazer do Rio de Janeiro foi publicada no Diário Oficial do município. Ela havia sido nomeada para tal cargo no mês de abril.

Publicidade
Fique por dentro das principais notícias de Esportes
Ativar notificações