+ de 1.000 cursos online para você ser tudo o que quiser por R$ 19,90/mês.

Ibovespa perde fôlego com preocupações sobre tensão comercial EUA-China; Petrobras sobe

2 ago 2019 10h17 - atualizado às 11h47
Compartilhar
comentários

O Ibovespa perdia fôlego nesta sexta-feira, minado pelo viés negativo nas bolsas externas por preocupações com o embate comercial entre os Estados Unidos e a China, após subir mais de 1% com as ações da Petrobras entre as maiores altas após a companhia reportar lucro recorde no segundo trimestre

07/01/2016 REUTERS/Paulo Whitaker - GF20000086737
Foto: Reuters

Às 11:40, o Ibovespa caía 0,3 %, a 101.817,72 pontos. Na máxima, mais cedo, chegou a subir 1%. O volume financeiro somava 6,2 bilhões de reais.

publicidade

O efeito positivo do noticiário corporativo doméstico era ofuscado pela escalada nas tensões comerciais entre Estados Unidos e China, após o presidente norte-americano, Donald Trump, prometer adotar tarifas de 10% sobre 300 bilhões de dólares em importações chinesas a partir do próximo mês.

Em Wall Street, o S&P 500 cedia 0,9%, com dados do mercado de trabalho norte-americano também corroborando para o cenário de desaceleração da maior economia do mundo.

A equipe da corretora Guide Investimentos destacou que o mercado brasileiro segue reagindo à temporada de balanços, mas que, no exterior as bolsas mantêm o movimento de 'risk-off'. "Com isso, esperamos um dia de viés neutro/negativo para ativos de risco locais", afirmou em nota a clientes.

DESTAQUES

publicidade

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiam 3,05% e 2,01%, após divulgar lucro líquido recorde de 18,87 bilhões de reais para o segundo trimestre, aumento de 87% ante o mesmo período do ano passado. A alta era ajudada pela recuperação dos preços do petróleo após forte queda na véspera.

- CVC valorizava-se 2,22%, após sua controlada Submarino Viagens celebrar proposta vinculante para aquisição da operadora de turismo argentina Almundo por 77 milhões de dólares.

- KROTON subia 3,04%, tendo de pano de fundo afirmação de que contempla "potencialmente" operação de mercado de capitais envolvendo educação básica entre alternativas para maximizar valor a acionistas.

- ELETROBRAS PNB e ELETROBRAS ON perdiam 0,72% e 0,62%, respectivamente, depois de subirem mais cedo, quando repercutiram autorização do presidente Jair Bolsonaro para que sejam aprofundados estudos para a desestatização da companhia.

publicidade

- BRADESCO PN recuava 0,47%, enfraquecendo em relação ao começo do pregão, assim como ITAÚ UNIBANCO PN, que mostrava queda de 0,77%, pesando no Ibovespa. BANCO DO BRASIL tinha declínio de 1,44% e SANTANDER BRASIL UNIT cedia 1,61%.

- CIELO perdia 4,31%, após disparar no final do pregão de quinta-feira depois de notícia de que o BB estuda vender sua participação na companhia. A Cielo disse que não tinha conhecimento sobre as informações.

- VALE caía 1,45%, conforme os contratos futuros de minério de ferro negociados na China caíram mais de 4% nesta sexta-feira, depois que o Brasil anunciou uma recuperação nas exportações da matéria-prima siderúrgica em julho.

Para ver as maiores baixas do Ibovespa, clique em

publicidade

Para ver as maiores altas do Ibovespa, clique em

Fique por dentro das principais notícias
Receba notificações
Reuters - Esta publicação inclusive informação e dados são de propriedade intelectual de Reuters. Fica expresamente proibido seu uso ou de seu nome sem a prévia autorização de Reuters. Todos os direitos reservados.
publicidade
Últimas de Economia