Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

Mostra de Tiradentes abre calendário audiovisual brasileiro

21 jan 2022 19h18
Compartilhar
Foto: Divulgação/Mostra de Tiradentes / Pipoca Moderna

A Mostra de Cinema de Tiradentes celebra 25 anos e abre o calendário audiovisual brasileiro nesta sexta-feira (21/1), em nova edição virtual devido à pandemia de covid-19.

A programação, que vai até o dia 19, pode ser acompanhada pela plataforma online do evento (www.mostratiradentes.com.br). Ao todo, estão previstos 169 filmes, entre longas, curtas e médias-metragens, em pré-estreias e mostras temáticas, além da versão virtual do 25º Seminário do Cinema Brasileiro, com 38 debates, e outros eventos.

Publicidade

A cerimônia de abertura acontece a partir das 20h, com a apresentação do eixo temático de 2022, "Cinema em transição", performance audiovisual e uma homenagem ao cineasta Adirley Queirós, de filmes como "Branco Sai Preto Fica" e "Era Uma Vez Brasília".

Depois de duas horas de discursos, conversas e performance, tem início as exibições, com a apresentação de "Fragmentos de 2016 em Dois Episódios", novo trabalho de Adirley Queirós, em parceria com Cássio Oliveira, que se soma às diversas leituras cinematográficas do Impeachment de Dilma Rousseff e seus desdobramentos. O filme será exibido em "sessão única" com sinal disponível até às 23h59 de sexta.

A programação do evento destaca a Mostra Aurora, competitiva e dedicada a filmes de realizadores com até três longas-metragens, que exibirá sete selecionados: "Seguindo Todos os Protocolos" (PE), de Fábio Leal; "A Colônia" (CE), de Virgínia Pinho e Mozart Freire; "Sessão Bruta" (MG), de As Talavistas e ela.ltda; "Panorama" (SP), de Alexandre Wahrhaftig; "Maputo Nakurandza" (RJ-SP), de Ariadine Zampaulo; "Bem-vindos de Novo" (SP), de Marcos Yoshi; e "Grade" (MG), de Lucas Andrade. Todos eles vão ser avaliados pelo Júri da Crítica e concorrem ao Troféu Barroco e a prêmios de parceiros da Mostra.

Publicidade

Nomeada em tributo ao cineasta Carlos Reichenbach (1945-2012), a Mostra Olhos Livres, com diretores de trajetórias mais significativas, traz "O Dia da Posse" (RJ), de Allan Ribeiro; "Você nos Queima" (SP), de Caetano Gotardo; "Os Primeiros Soldados" (ES), de Rodrigo de Oliveira; "Germino Pétalas no Asfalto" (SP), de Coraci Ruiz e Julio Matos; "Manguebit" (PE-SP-RJ), de Jura Capela; e "Ava - Até que os Ventos Aterrem" (SP), de Camila Mota.

Na Mostra Autorias, o destaque é o mais novo filme do cineasta Julio Bressane, "Capitu e o Capítulo" (RJ), que retoma o clássico "Dom Casmurro", de Machado de Assis, numa dança ensaística, enquanto "Cafi - Salve o Prazer", de Lírio Ferreira, resgata a vida e obra do fotógrafo e artista plástico pernambucano Carlos da Silva Assunção Filho (1950-2019), que participou de criações e momentos-chave da música brasileira no século 20.

Outro grande artista retratado em Tiradentes, na Sessão Debate, é o cineasta Ruy Guerra, atualmente com 90 anos de idade. "Tempo Ruy" (RJ), documentário de Adilson Mendes, faz um panorama do trabalho do cineasta, escritor, ator e dramaturgo moçambicano radicado no Brasil, desde sua primeira experiência cinematográfica até momentos recentes de seu trabalho.

Publicidade

Além disso, serão exibidas sessões especiais e 102 curtas de 18 estados, um acréscimo significativo em relação ao ano passado (79 curtas).

Mais informações podem ser conferidas em www.mostratiradentes.com.br.

Pipoca Moderna
Fique por dentro das principais notícias de Entretenimento
Ativar notificações