Monte seu e-commerce e divulgue sua marca no Terra

O tempo fechou: Meta alerta para "ventos contrários" em carta a funcionários

Pressões macroeconômicas e queda nas receitas de anúncios devido a medidas de privacidade desaceleram crescimento da Meta

30 jun 2022 - 21h24
Compartilhar

Até as maiores empresas passam por dificuldades. Parece ser o caso da Meta. Em um memorando interno que circulou esta semana entre os funcionários, Chris Cox, diretor-chefe de produto, diz que a companhia vive "tempos difíceis" e que "ventos contrários estão ferozes". A empresa -- dona do Facebook, WhatsApp, Instagram e Messenger, entre outros -- deve ter um crescimento mais lento no segundo semestre de 2022.

Mark Zuckerberg no anúncio da Meta
Mark Zuckerberg no anúncio da Meta
Foto: Reprodução/Facebook / Tecnoblog

O documento, obtido em primeira mão pela agência de notícias Reuters, aborda as pressões macroeconômicas sobre a empresa, bem como os impactos causados aos negócios de publicidade por medidas de privacidade.

Publicidade

Cox pede que os diretores estabeleçam prioridades "impiedosamente" e comandem seus times para serem mais leves e executarem melhor as tarefas.

"Precisamos ter uma execução sem falhas em um ambiente de crescimento mais lento", diz o memorando. Ele ainda alerta que as equipes não devem esperar a chegada de muitos engenheiros nem contar com grandes orçamentos.

Meta aposta nos Reels para enfrentar TikTok

Uma das prioridades para reverter a situação é monetizar os Reels, formato de vídeos curtos copiado do TikTok e implantado no Instagram e no Facebook.

O aplicativo de origem chinesa, aliás, é o concorrente mais difícil enfrentado pela Meta em toda sua história, desde sua fundação como Facebook. As redes da empresa começaram a perder usuários, sobretudo os mais jovens. Enquanto isso, o rival não para de crescer.

Publicidade

Cox também acredita que a Meta precisa aprofundar seus investimentos em produtos do metaverso, inteligência artificial, mensagens, monetização, promoção dos Reels e, por fim, adaptação aos novos requisitos de privacidade.

O memorando deste mês reforça que a situação da empresa não é das mais tranquilas. Em maio, a Meta pausou contratações para diversas equipes, incluindo as de shopping e videochat. Desde o início de 2022, as ações da Meta já caíram mais de 50%.

Com informações: Reuters, The Verge.

O tempo fechou: Meta alerta para "ventos contrários" em carta a funcionários

Publicidade
Fique por dentro das principais notícias de Tecnologia
Ativar notificações