Especiais
 

Aventura
O Senhor dos Anéis - A Sociedade do Anel
Episódio de estréia da trilogia baseada em obra de J.R.R. Tolkien é espetáculo de primeira grandeza

Mariane Morisawa

 

Divulgação
A Sociedade do Anel: com passagens de tirar o fôlego, episódio é adaptação do livro que inspirou clássicos como Star Wars

O novo milênio mal começou e já tem grandes filmes de aventura, que nada ficam a dever a maravilhas do século passado, como Indiana Jones e Star Wars. Primeiro foi Harry Potter e a Pedra Filosofal, e agora chega às telas, dirigido por Peter Jackson, A Sociedade do Anel, episódio de estréia da trilogia baseada em O Senhor dos Anéis, escrito por J.R.R. Tolkien.

Os milhões de fãs do best-seller não podem reclamar. O filme é um espetáculo de primeira grandeza. Apesar de ter condensado bastante a saga de Frodo Bolseiro, o universo criado pelo autor está todo lá.

Indicações
O Senhor dos Anéis: A Sociedade do Anel, de Peter Jackson, é a grande estrela do ano. Recebeu 13 indicações: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Ator Coadjuvante com Ian McKellen, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Maquiagem, Melhor Trilha Sonora, Melhor Canção Original com "May It Be", de Enya, Melhor Som, Melhor Efeitos Visuais, Melhor Direção de Arte, Melhor Fotografia, Melhor Figurino e Melhor Edição

Morando em uma pacata área da Terra-média, o hobbit - criatura de pés peludos e menos de 1 metro de altura - Frodo (Elijah Wood) descobre ter em seu poder o Um Anel, forjado por Sauron, o Senhor do Escuro, para dominar a Terra-média. É formada a Sociedade do Anel, composta por membros de todas as raças que lutam contra o Mal, para proteger Frodo em sua jornada para destruir a jóia na Montanha da Perdição, única maneira de evitar que o Anel caia novamente nas mãos de Sauron.

Com efeitos especiais de cair o queixo, mas que nunca se sobrepõem à história, A Sociedade do Anel não cansa em nenhum momento de suas três horas de duração. Pelo contrário, há muitas passagens de tirar o fôlego. Se lembra outros filmes, como Star Wars e Harry Potter, é simplesmente porque todos se inspiraram em Tolkien. O bom elenco dá conta dos personagens queridos dos fãs. Mas não é preciso se aventurar pelas mais de 1.200 páginas de O Senhor dos Anéis para gostar do filme. A diversão é para todo mundo. O duro vai ser esperar um ano inteiro para a segunda parte, As Duas Torres, que sai em dezembro de 2002. O pai de todas as histórias de aventura