- Anuncie
- Assine

   
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Luxo
O olhar estrangeiro de volta à Daslu
Com novo fôlego, a grife de Eliana Tranchesi retoma as vendas de importados e um dream team estreante de dasluzetes vai às compras em Nova York, Milão e Paris

Gisele Vitória, de Paris

Gisele Vitória, de Paris
No showroom da Givenchy, em Paris, Patrícia Bagattini (à esq.) comanda o novo time de compradoras internacionais da Daslu: Mica Rocha, Luiza von Mutius, Lucila Matarazzo e Juliana Carvalho

PARIS É A ÚLTIMA PARADA de uma maratona de mais de 40 dias. Antes, Nova York, Londres e Milão. Nada a ver com Jack Kerouac, mas bem que daria para imaginar uma espécie de On the Road de fino trato. Se contassem passarelas por quilometragem, os mais de 80 desfiles a que elas assistiram (e analisaram) davam uma estrada de respeito. Sob o comando da head buyer Patrícia Bagattini, um dream team estreante de compradoras está à frente da retomada da Daslu na venda dos importados. Com novo fôlego depois de entrar em recuperação judicial, a grife da empresária Eliana Tranchesi se prepara para encher novamente as araras da loja com grifes internacionais. “Estamos em festa. O que compramos em junho já está chegando e teremos novidades até março”, diz a empresária, que ainda faz suspense com a venda da butique. Um leilão deve acontecer em breve, mas, chova ou faça sol, Eliana permanece no comando criativo.
Com uma edição de moda que, entre outras coisas, transformou a butique brasileira num case mundial, a empresária resume o trabalho: “Garimpo é a palavra. É isso o que a gente faz”. Desta temporada, a Daslu trará peças de mais de 120 marcas femininas e masculinas como Valentino, Oscar de la Renta, Givenchy, Balmain, Dolce&Gabbana, e novidades como Carven, Jason Wo, Giuseppe Zanoiti, Proenza Schouler, Blu Girl e Marchesa. “A nossa escolha é imbatível. Só trazemos o que é bonito”, diz Eliana. “O segredo da nossa edição de moda é que nossas buyers só compram aquilo que amam ou que sabem que a cliente vai gostar. Temos um olho forte para a cultura de moda.”

“A nossa escolha é imbatível. Garimpo é a palavra. É isso que a gente faz”
Eliana Tranchesi


Mica Rocha, herdeira das lojas Riachuelo, Lucila Matarazzo, gerente de importados, Luiza von Mutius e Juliana Carvalho formam um antenado time com foco na moda internacional. Patrícia Bagattini, 27 anos, formada em moda em Nova York pela prestigiada Parsons New School For Design, trabalha na sala ao lado de Eliana e foi treinada pela empresária e por Donata Meirelles, ex-diretora da Daslu, no olho certeiro do que levar para o Brasil entre tantas coleções apresentadas. “O que nos diferencia é que seguimos muito nosso feeling nas escolhas. Não existe uma regra rígida”, diz Patrícia, que trabalha na butique desde os 17 anos.
O estudo das pré-coleções de cerca de 80 marcas já definem 80% dos pedidos. O próximo passo é assistir a todos os desfiles e depois, com auxílio do look book (fotos de todos os looks desfilados) e a visita ao showroom, definem-se as peças e os pedidos são executados. “Temos que conhecer muito a nossa cliente”, diz Lucila Matarazzo. No mix do time, o know-how do perfil das clientes fica por conta da experiência de Lucila, há 14 anos na Daslu. As jovens Mica, Luiza e Juliana mesclam perfis: a primeira mais moderna, a segunda – ex-Barneys – com foco comercial mais a orientação de moda, e a terceira com o olhar mais clássico.
Gente acompanhou a head buyer Patrícia no desfile da Givenchy no Lycee Carnot, uma antiga escola parisiense. O prestígio veio na forma de abraços efusivos de diretores da marca na chegada e na saída. O lugar de Eliana Tranchesi na primeira fila estava reservado, embora ela não tenha ido. “O desfile foi bem dramático, como já parecia na pré-coleção. Gostei muito das sobreposições”, disse Patrícia, sobre a coleção gótico-chic-oncinha assinada por Riccardo Tisci. Ela já sabia o que iria comprar. “A oncinha já é um novo preto. Vamos levar muita coisa.” No dia seguinte, Gente foi com o grupo ao showroom da Givenchy para definir as compras. O tamanho da oferta exigia um olho mais exigente. Entre a legging de oncinha, linda na modelo, e a versão preta, a opção foi pela preta, mais comercial. “Qual você usaria?”, sorri Lucila. Para as it girls da Daslu, a famosa dúvida cruel na hora de decidir não existe.

 

PÁGINAS :: 1 | 2 | 3 | Próxima >>
   


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS