- Anuncie
- Assine

   
 
Paulo Borges // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


O jardim de Chanel
Com 80 modelos na passarela, Karl Lagerfeld apresentou os clássicos da maison

 

O legado de McQueen
Sarah Burton, braço direito de Alexander McQueen, mostra que o trabalho impecável da maison continua

A cobrança foi alta , mas também foi a entrega. A primeira coleção que Sarah Burton assinou sozinha depois da morte de Alexander McQueen foi mais suave, menos impactante, porém digna de seu criador. Braço direito de McQueen, Burton absorveu toda a sua subversão e se tornou especialista em acabamentos artesanais e preciosos, incríveis bordados, rendas ousadas, borboletas, plumagens, folhas. A natureza de Alexander, em todos os sentidos, estava ali presente. A paixão de McQueen pelo passado se fez valer nas peças de imponência imperial, muitas vezes arrematadas por grandes cinturões de couro. Sua tão impecável alfaiataria ganha agora contornos mais suaves e femininos. Ajustadas e moldadas ao corpo da mulher. Leve, sexy, feminino e subversivo na medida certa, o verão 2011 de Sarah Burton eliminou quaisquer dúvidas sobre sua capacidade em levar o legado de McQueen adiante.

<< Anterior | 1 | 2 | 3 | 4 | Próxima >>

   


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS