- Anuncie
- Assine

   
 
Agito // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Agito
Made in Italy


MADE IN ITALY


A Missoni chegou disposta a fazer sua história no Brasil. Primeiro foi a loja ready-to-wear no Shopping Iguatemi, em São Paulo, depois a do Iguatemi Brasília e agora, a linha Missoni Home aterrisou por aqui. Na terça-feira 27, Vincente Mello e Talita Moya, responsáveis por trazer a marca para o País, inauguraram sua nova loja na Vila Nova Conceição. Christopher Phillips, diretor de marketing da label na América, veio prestigiar a abertura.

 

 

 

 


CHAT COM VICENTE MELLO


Por que trazer a Missoni para o Brasil?

A ideia surgiu um pouco pelo gosto pela marca e um pouco pela visão de negócio. A Missoni é uma marca feliz que usa muitas cores e nós acreditamos que tem uma identificação com o Brasil por ser alegre e colorida.

Quais são os diferenciais da Missoni?

Quando se trata de marcas de luxo, a Missoni não tem concorrentes porque a maior parte das marcas posicionada neste segmento foca muito em acessórios e pouco em roupas. E as peças Missoni não vêm com um logo dizendo que é Missoni. Quem gosta reconhece. Nós não vendemos um logo, nós vendemos lifestyle. E as peças são atemporais. Você pode comprar um vestido hoje e usar daqui a 20 anos, sem problema algum, porque o designer e a qualidade são feitos para isso.

Como é o processo de criação das peças?
Nossos artistas não se consideram fashion designers, se consideram artistas. Como antes a Missoni era uma tecelagem, nós criamos primeiro um tecido, uma trama, uma estampa e depois uma roupa ou acessório para a casa a partir daquela estampa. É o sistema inverso da maioria das marcas.

Quais são os próximos passos da marca no Brasil?
A Missoni é uma empresa familiar e tudo é muito pensado. Não temos a obrigação de dar um lucro xis esperado que os grandes conglomerados têm. Vamos crescer à medida que o País crescer e tiver um aumento de demanda pelos produtos. As pessoas não precisam ter somente dinheiro para comprar as roupas, elas também precisam ter ocasião para usá-las. Devemos inaugurar um hotel na Bahia em 2012 e um hotel no Rio ou em São Paulo, ainda não está decidido.

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS