- Anuncie
- Assine

   
 
Estilo // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Estilo casa
Simples assim
Conforto e praticidade foram as premissas que guiaram o jogador de polo João Paulo Ganon na hora de pensar no projeto de seu duplex em São Conrado, no Rio. O décor, assume as referências à sua paixão pelo esporte

Gustavo Autran Fotos Orestes Locatel/Ag. IstoÉ

 

CHAT
Como surgiu o interesse pelo polo?
Foi de pai para filho. Meu pai (o empresário Ronaldo Ganon) joga polo como hobby desde antes de eu nascer. Eu cresci nesse ambiente. Na infância, ia muito ao sítio de minha família em Itaguaí, onde até hoje ficam os meus cavalos de competição. Ainda criança aprendi a montar e taquear a bola. Com o tempo fui tomando gosto pela coisa, me apaixonando.

Você tem uma rotina pesada de treinamento?
Depende. Nas épocas de competição, fica mais puxado porque temos que estar em contato com os cavalos diariamente. Durante a semana, costumo treinar três vezes com o time e, fora isso, gosto de malhar todo dia, por aproximadamente duas horas. Também corro três vezes na semana pela orla, durante 30 minutos, e faço bastante fisioterapia, por causa do desgaste muscular.

Além de sua habilidade esportiva, você também ficou conhecido por namorar famosas, a exemplo de Ana Paula Arósio. Ficou incomodado com o assédio da imprensa?
Eu não busco a fama, isso foi uma coisa que simplesmente aconteceu. Sou reservado, prefiro sair numa publicação voltada ao esporte a frequentar colunas sociais ou revistas de celebridades. Mas acho que cada um tem seu trabalho e, procuro encarar o assédio com tranquilidade, desde que não haja invasão de privacidade.

Você já preparou os atores Rodrigo Lombardi e Edson Celulari, que interpretaram jogadores de polo nas novelas Caminho das Índias e Páginas da Vida, respectivamente. Como foi a experiência?
Não foi fácil, porque o tempo era curto e este não é um esporte que se aprende da noite para o dia. Mas os dois se saíram superbem, apesar de termos tido menos de dois meses de preparação. Claro que eles treinaram com cavalos mais mansos, que são melhores para quem está começando. O Rodrigo chegou a passar um fim de semana no meu sítio em Itaguaí com a família. Foi uma experiência bacana, os dois são nota dez.

 

 

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2 | 3


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS