- Anuncie
- Assine

   
 
Música // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Ele nasceu de novo
Depois do grave acidente que o afastou dos palcos por quase seis meses, Dinho Ouro Preto conta da dificuldade que teve para voltar a cantar, mas agora, totalmente recuperado, chega a pedalar 20 km em 40 minutos

Gustavo Autran Fotos Daniela Dacorso/Ag.IstoÉ

“Tinha dificuldade para andar, falar e até para juntar os dedos e encostá-los no nariz” Lembra o músico, sobre a queda que sofreu em 2009

O começo da reabilitação também não foi fácil. “Tinha dificuldade para andar, falar e até para juntar os dedos e encostá-los no nariz”, conta. Como se não bastasse, o início da gravação do novo disco estava marcado para três dias após o acidente no palco. Para não atrasar ainda mais o lançamento do CD, ficou decidido que a banda entraria em estúdio em novembro e Dinho só colocaria a voz por cima dos instrumentos mais tarde, quando as dores dessem uma trégua. “Quando finalmente chegou a minha hora de gravar, a voz não saiu, provavelmente por causa de uma atrofia das cordas vocais, já que fiquei meses sem cantar. Então só podia registrar uma música por dia, com uma fonoaudióloga do lado me vigiando”, recorda. Depois de todo esse sufoco, o cantor teve ainda que implantar um duto entre o rim e a bexiga, para se livrar de uma pedra nos rins descoberta no finzinho de fevereiro.

Diante de tudo isso, o apoio da esposa, Maria, e dos filhos Giulia, de 13 anos, Isabel, 11, e Afonso, 7, foi fundamental para a sua recuperação. “A presença deles foi muito importante. Mas evitei que as crianças me vissem cheio de eletrodos pelo corpo. Seria uma imagem muito forte para eles”, diz. Passada a má fase, Dinho retomou sua vida normal e até demonstra bom humor quando fala dos problemas enfrentados no passado. Preocupado com a boa forma e aparentando bem menos idade, ele diz que recuperou seu peso original − está com 72 kg − e voltou a fazer suas atividades físicas favoritas: correr na esteira da academia e andar de bicicleta. Recentemente, pedalou 20 quilômetros em 40 minutos. Mas, definitivamente, não está nem um pouco interessado em ter uma alimentação saudável. “Como qualquer porcaria, adoro feijoada, cheese-salada e comida trash. Isso sem contar com o vinho. Adoro!”, conta ele. Mais rock’n’roll, impossível.

 

 

 

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS