- Anuncie
- Assine

 
 
 
Reportagens // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


De malas prontas para a África
Prestes a embarcar para a sua primeira Copa do Mundo, a apresentadora Renata Fan fala da preparação para o desafio, revela segredos de torcedora fanática e curiosidades sobre sua paixão pelo Internacional de Porto Alegre

Thaís Botelho Fotos Rafael Hupsel/ Ag. IstoÉ

Para Renata Fan, mais que um bom conhecimento das regras do futebol, tem de “existir amor de verdade”. Apresentadora do programa Jogo Aberto, da Band, ela defende a imparcialidade no exercício de sua profissão, mas acredita que “não dá para ser bom sem amar realmente o que faz.” Nascida em Santo Ângelo, no Rio Grande do Sul, ela é torcedora fanática do Internacional de Porto Alegre e tem uma coleção de 100 camisetas do seu time no closet do apartamento onde mora, no bairro do Morumbi, em São Paulo. Átila Abreu, piloto de Stock Car e namorado da apresentadora há um ano e sete meses, é torcedor do São Paulo, mas já ganhou algumas camisas do Inter da sogra, Ana. “Até já peguei ele dormindo com uma dessas camisetas”, entrega Renata. “Tá, é verdade... tudo em nome do amor” diverte-se o piloto.
Por conta dessa paixão, Renata costuma assistir aos jogos na tevê ou mesmo vai ao campo, quando a agenda profissional permite. O problema é o entusiasmo com que ela torce. “Confesso que não gosto de assistir a partidas com outras pessoas. Me concentro de verdade, não atendo telefone e não me levanto do sofá para nada”, conta aos risos. No estádio, a transformação da refinada apresentadora é ainda maior. “É só nesse momento que as pessoas me veem falando palavrão, acredita? É minha hora de extravasar, xingar, gritar, chorar...sou sem limites”, assume.

 

Rumo à África do Sul

Na cozinha, um álbum de figurinhas do torneio mundial chamava a atenção na bancada. “É uma febre, né? Completei o meu em duas semanas, e o do Átila em três”, conta Renata. E o álbum irá em sua mala no mês de junho, quando a apresentadora pisará em solo africano para cobrir uma Copa do Mundo pela primeira vez. “Será meu maior desafio. Estou muito feliz e ansiosa”, confessa. Nas três malas que levará na viagem, uma delas só com uniformes da emissora, Renata já sabe o que não faltará: casacos de frio, “nenhuma peça azul” – afinal é a cor do Grêmio –, um dos grandes rivais de seu time, botas de salto alto, jeans, camisetas e maquiagem. E, além de aulas de inglês, ela está fazendo um intensivão sobre o assunto Copa. “Gravei documentários e tenho lido bastante sobre tudo. Chegarei ainda mais afinada.” Alguém duvida?



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS