- Anuncie
- Assine

 
 
 
Moda // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Perfil
IT GIRLS de sucesso
Jovens e bem nascidas, RENATA e LILLY SARTI são a melhor imagem da marca que administram sozinhas e que faz o maior sucesso no mundo da moda

Bianca Zaramella | Fotos Fabiano Cerchiari/Ag.IstoÉ

DE UNS TEMPOS PARA CÁ, a moda brasileira vem testemunhando um frenesi de novos nomes se apresentando ao mercado. Geralmente são jovens saídos das faculdades e cursos de moda com trabalhos que vão do artesanal a voos mais altos, dependendo do background ou da sorte de um empurrão financeiro, às vezes vindo da própria família. Mas nessa engenharia de estreia não há como evitar a regra implacável: só permanece quem cai nas graças de quem consome. Em outras palavras isso significa talento.

Com a dupla Lilly e Renata Sarti, não foi diferente. Em menos de cinco anos, a marca Lilly Sarti comemora o sucesso de vendas na Daslu e em mais de 60 pontos de vendas em todo o Brasil.

O estilo chique e aparentemente despretensioso das roupas das meninas agradou em cheio uma turma jovem, bem urbana e endinheirada. As chamadas it girls.

As duas irmãs, sempre impecáveis e elegantes, são as melhores garotas-propaganda de sua grife. Elas frequentam as melhores festas de São Paulo e sempre que chegam, atraem os flashs e a curiosidade, principalmente das mulheres interessadas em conferir o que elas estão usando dessa vez.

Filhas de empresários, Renata e Lilly já sabiam desde cedo que queriam seguir o caminho oposto das meninas de sociedade com vocação para dondocas. “Tinha muitas amigas assim, mas não era para mim”, contou Lilly em uma tarde de quarta-feira, na loja de sua grife nos Jardins, em São Paulo. Mais pragmática, é Renata quem conta a origem da ideia do negócio: “Lilly sempre teve esse jeito de artista. Quando a gente era criança, ela desenhava roupas e cantava Maria Callas na sala de casa”, recorda, entre uma ligação e outra, no showroom que funciona no andar de cima da loja.

Quando a marca começou há cinco anos, Lilly tinha apenas 19 anos, e, claro, não entendia nada do mercado. “Na época havia a moda dos vestidos longos estampados. Fiz 15 modelos com a minha costureira e vendi todos em uma semana!”, conta. Manu Elias, filha do badalado arquiteto Jorge Elias e Heleninha Bordon, filha de Donata Meirelles, foram as primeiras clientes da marca. Aos olhos atentos de Renata, empreendedora e com um ótimo tino comercial, o fato de Lilly vender seus vestidos tão rápido era o estímulo que faltava para as duas entrarem no mundo dos negócios. Com a família de empresários no ramo de construção e frigoríficos, Renata aprendeu em casa a dar valor ao dinheiro.

“Queria estudar administração de empresas e estava começando a faculdade, na época. Sempre fui muito organizada com o dinheiro. Tinha aplicações com a minha mesada.” Renata e Lilly estudaram nas melhores escolas, conheceram a Europa e tiveram contato com a moda desde cedo.“As amigas sempre queriam as nossas roupas”, conta a estilista da marca, enquanto escolhia as cores da maquiagem para as fotos de Gente.

 

1 | 2 | Próxima >>



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS