- Anuncie
- Assine

 
 
 
Cinema // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


DRAMA
O jornalista e o mendigo
Talento de Robert Downey Jr. e Jamie Foxx não compensa a morosidade de O Solista

A amizade entre os personagens de Foxx (esq.) e Downey Jr. é o coração da trama

HOLLYWOOD ADORA HISTÓRIAS REAIS e tristes, assim como a Academia costuma premiar astros que entregam atuações carregadas de dramaticidade. Mas nem sempre o que parece uma receita infalível dá um bom prato. Em O Solista, os ingredientes foram escolhidos a dedo.

A trama é inspirada no livro do colunista do Los Angeles Times, Steve Lopez, que narra sua amizade com Nathaniel Ayers, o mendigo que toca música clássica pelas calçadas da cidade. Lopez descobriu se tratar de um prodígio musical, ex-aluno de violoncelo da prestigiada Juilliard de Nova York, que perdeu o rumo por causa da esquizofrenia. Quem viu Jamie Foxx em Ray sabe o quanto o ator é capaz de desaparecer em um personagem.

E aqui ele ainda é estimulado pela meticulosa atuação de Robert Downey Jr., na pele do jornalista que desvenda o drama dos sem-teto enquanto tenta ajudar o amigo. O problema é que o inglês Joe Wright é cineasta de romances de época como Orgulho e Preconceito e Desejo e Reparação, e parece um estranho no ninho nesse universo urbano e deprimente. Essa inadequação rende um filme apático e convencional.

(Classificação Indicativa: a conferir) S.U.I.

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS