- Anuncie
- Assine

 
 
 
Cinema // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


DRAMA
A agonia de Che
Segunda parte da biografia do revolucionário narra a tentativa frustrada de treinar guerrilheiros na selva boliviana

O bom desempenho de Del Toro no primeiro capítulo do filme se repete

BENICIO DEL TORO passou por um momento complicado quando lançou a primeira parte de Che, em que interpreta o guerrilheiro, nos Estados Unidos. Uma jornalista cubana que havia deixado a ilha o questionou se ele sabia dos assassinatos cometidos por Ernesto Guevara. Del Toro ficou sem palavras. A primeira parte da biografia, dirigida por Steven Soderbergh, proporcionava mesmo esse tipo de discussão.

Narrava uma trajetória bem-sucedida, com o grupo liderado pelo argentino guerrilhando na selva e levando Fidel Castro ao poder em Cuba, em 1959. Na segunda parte, Che 2 - A Guerrilha, a história é outra. Não há mais a necessidade de apresentar Che e, assim, equilibrar as ideias socialistas às atrocidades cometidas. Che é outro quando desaparece de Cuba e chega disfarçado à Bolívia, em 1966, para treinar guerrilheiros.

Filmado em planos abertos, com os personagens misturando-se à mata, e com imagens quase que monocromáticas, é uma trajetória rumo ao fracasso. Guevara não consegue arrebatar os camponeses, seu grupo vai sendo cercado aos poucos até que ele é capturado e morto, em cena de pura agonia. E, se na primeira parte, o que havia de bom era o desempenho de Del Toro, aqui a qualidade se repete.
(14 anos) Aina Pinto

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS