- Anuncie
- Assine

 
 
 
Cinema // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


INFANTIL
Aventura alucinante
Crocodilos, ETs e meleca gigante ofuscam atores de verdade em filme do diretor de Pequenos Espiões

No longametragem, a pedra mágica realiza os desejos de quem a segura

AO TOMAR PARA SI todas as funções principais de seus filmes, Robert Rodriguez desenvolveu estilo bem característico que funcionou quando ele se voltou ao cinema infantil em 2001, com Pequenos Espiões. A Pedra Mágica é a mais nova incursão do cineasta nessa seara. Uma pedra que realiza os desejos de quem a segurar aparece na cidadezinha de Black Falls, onde todo mundo trabalha para a Black Box, empresa que fabrica um gadget de mil e uma utilidades - de celular a torradeira.

Passando de mão em mão, a tal pedra mágica vai causando confusão: surgem extraterrestres, crocodilos e até uma meleca gigante. A história é divida em episódios não lineares, que vão e voltam no tempo, com a ajuda de teclas de "pause", "rewind" e "forward" que aparecem na tela. Com a profusão de seres em computação gráfica e esse ritmo alucinante, está na medida para a geração videogame. Perdidas entre tanta informação estão tiradas de humor, sacadas espertas (como a história coadjuvante dos irmãos que brincam de "não piscar") e críticas ao mundo moderno em que a tecnologia substitui o calor humano
(Livre) Marina Monzillo

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS