- Anuncie
- Assine

 
 
 
Cinema // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


DRAMA
Quando Tony Ramos é um vilão
Tempos de Paz mostra o ator como um ex-torturador da polícia política brasileira

Tony Ramos e Dan Stulbach já encarnaram os mesmos papéis no teatro

SÓ PARA VER TONY RAMOS em um papel completamente diferente daqueles que o consagraram já valeria a pena conferir Tempos de Paz, de Daniel Filho. Mas o filme entrega mais: belas palavras que contam uma história emocionante e fazem importante homenagem ao teatro, onde o texto nasceu. O longa-metragem é uma adaptação da peça Novas Diretrizes em Tempos de Paz, de Bosco Brasil, que também assina o roteiro cinematográfico.

Tanto no palco como na tela, Dan Stulbach encarna um imigrante polonês que chega ao porto do Rio de Janeiro em 1945, fugindo da guerra e com esperança de começar uma nova vida. Ele vai parar na sala do chefe da imigração vivido por Ramos, que desconfia que o rapaz seja um espião nazista.

Naquele dia, o oficial está sob grande pressão. Ex-torturador do Estado Novo, ele teme a vingança dos presos políticos que estão sendo soltos com o fim da guerra. Enquanto aguarda "novas diretrizes para tempos de paz", ele lança um desafio ao estrangeiro à sua frente: lhe dará o salvo-conduto para entrar no País, se conseguir fazê-lo chorar. É no duelo de interpretações dos dois atores que se dá a força dramática do filme.

(14 anos) Marina Monzillo

Filme é ambientado no submundo paulistano

Mais Cauã Reymond nas telas

Além de participar em À Deriva, o ator está no drama Se Nada Mais Der Certo

EM CARTAZ COM O FILME À Deriva, em que faz uma participação especial, Cauã Reymond pode ser visto como protagonista no drama Se Nada Mais Der Certo, que estreia na sexta-feira 14.

Premiado no Festival do Rio de 2008 e no Cine Ceará 2009, o longa- metragem de José Eduardo Belmonte aborda a classe média brasileira, completando uma trilogia do diretor sobre o tema.

Cauã é Léo, um jornalista falido que conhece um taxista e uma garota frequentadora das "bocas" de São Paulo. Ao mesmo tempo em que se envolvem em um golpe, uma relação de afeto se estabelece entre os três. (16 anos)

 



Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS