- Anuncie
- Assine

 
 
 
Música // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


As escolhas de Luiza
Depois de viver relacionamentos longos, a cantora Luiza Possi diz que está finalmente se descobrindo, prefere não rotular o romance com o apresentador e humorista Marco Luque e lança um CD mais autoral

Bruno Deminco

Foto Murillo Constantino/Ag. IstoÉ

A nova Luiza, que agora luta para ser a sempre Luiza, está numa fase em que serenidade é sua palavra-chave e abrange todos os setores da vida, inclusive o do coração. A cantora, que tem sido vista na companhia constante do humorista e apresentador do CQC Marco Luque, não vê motivos para muita pressa no novo romance. “Estamos ficando, mas ainda não definimos nada. Está leve, está gostoso, está livre. É melhor não rotular”, afirma. Nem mesmo a vontade mais do que certa de ser mãe um dia, a faz pensar em apressar as coisas. “Sei que tenho esse amor maternal e que eu quero muito poder me dar uma criança. Mas não por agora, tenho muito pela frente”, afirma. Enquanto isso, a cantora experimenta seu lado mãe nos cuidados com Judite Maria.
“Faz pouco tempo que ela teve gravidez psicológica. Ela cruzou com o cachorrinho da minha mãe e jurava que estava grávida. Teve até que tomar remédio”, diverte-se.

A maturidade dessa nova Luiza está refletida em seu quinto CD, Bons Ventos Sempre Chegam, o mais autoral de sua carreira, com 13 músicas inéditas, a maioria composta por Luiza e Dudu Falcão. A parceria surgiu quando a cantora ainda dividia o apartamento com Pedro, na Barra da Tijuca, no Rio, e descobriu que o letrista morava na porta da frente. Para selar a trabalho a quatro mãos, que muitas vezes virava as madrugadas, Luiza encomendou um carimbo que trazia escrito “pronto”. “A gente acabava uma música lá pelas 3h, aí eu carimbava o papel com a letra e depois carimbava a gente mesmo para descontrair”, lembra ela, que deixou a produtiva vizinhança da Barra para descobrir-se no Leblon.

Agradecimento Bar Drosophyla, em São Paulo

PÁGINAS :: << Anterior | 1 | 2


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS