- Anuncie
- Assine

 
 
 
Paulo Borges // Home
 
- Edição Atual
- Anteriores
 
- Imagens
- Frases
- Urgente
- Moda
- Estilo
- Fernanda Barbosa
- Paulo Borges
- Agito
- Aconteceu
- Celebridade
- Reportagens
 
- Cinema
- Música
- Livros
- Teatro
- Gastronomia
- Televisão
 

Atualize-se com a
IstoÉ Gente!




- Fale Conosco
- Expediente
- Anuncie
- Assine
- Loja 3
 

 


Música e perfume
DJ Zé Pedro fala com exclusividade sobre seu mais novo álbum, Essa Moça Tá Diferente, que traz remixes de cantoras como Maysa, Ângela Rô Rô e Nara Leão

Ele é um dos DJs mais requisitados para assinar trilhas sonoras de desfiles no SPFW e no Fashion Rio, os dois maiores eventos de moda da América Latina. Começou há 15 anos, mixando grandes divas da MPB com beats eletrônicos.

Caiu nas graças do povo com sua longa e frutífera participação no programa de Adriane Galisteu, de quem se tornou grande amigo: "Ela foi uma escola para mim". Agora ele acaba de lançar um novo disco, em que Marisa Monte autorizou um remix oficial de sua obra e Zélia Duncan gravou, especialmente para ele, um poema de Cazuza. Confira uma entrevista exclusiva com o DJ Zé Pedro:

Paulo Borges: Dá para resumir os acontecimentos nos últimos seis meses?
Zé Pedro:
Meus últimos seis meses foram de ansiedade e alegria com o projeto Essa Moça Tá Diferente em que reuni 14 das mais importantes cantoras brasileiras em versão remix, muitas delas causando curiosidade pelo inesperado de ouvi-las em versão dançante como Maysa, Ângela Rô Rô e Nara Leão. A alegria está sendo ver uma geração de no máximo 25 anos de idade cantar e dançar essas mulheres nas pistas de dança, e a ansiedade vem de estar me apresentando com algumas dessas cantoras ao vivo nos palcos pelo Brasil, num show onde mostro também imagens raras de arquivo numa grande tela

E o que você espera dos acontecimentos na sua vida nos próximos seis meses?
Não costumo pensar no futuro, tenho saudades do passado e aproveito bem o presente. Daqui a seis meses imagino tudo e nada.

Conte tudo sobre esse novo disco: estilo musical, repertório...
É um disco básicamente de house music brasileira centrado nas grandes cantoras brasileiras.

Como foi feita a pesquisa?
Eu brinco que a pesquisa se mistura com a minha própria vida, desde os 7 anos quando escolhi Maria Bethânia como primeira influência musical. A escolha do repertório é totalmente intuitiva baseada nas minhas memórias e no meu feeling como DJ, se essa ou aquela canção serve para dançar, se precisa de uma nova roupagem.

O que tem de velho nele?
De velho nada. A música brasileira é sempre nova, além disso, remixar significa dar cara nova a uma canção.

E o que tem de novo?
Ser um disco em que pela primeira vez eu gosto é de mulher! Cantora é o meu negócio!

Qual a sua música favorita e por quê?
É claro que gosto de todas, por isso vou destacar dois momentos: Marisa Monte ter autorizado um remix oficial de sua obra e Zélia Duncan ter gravado, especialmente para mim, um poema de Cazuza.

PÁGINAS :: 1 | 2 | Próxima >>


Copyright © 2009 - Editora Três Ltda. - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução total ou parcial deste website, em qualquer meio de comunicação, sem prévia autorização.
ContentStuff Media Solutions | Gestão de Conteúdo | CMS